Seção

Mercado

Saiba como Economizar com o Aumento do Vidro

Vidraceiros são os mais impactados pelo aumento no custo da matéria prima e pelo novo cálculo de arredondamento.

29/09/2020

Primeiro foi o aumento no preço dos vidros. Os fabricantes alegaram que a falta do produto, e consequente aumento em seu preço, é resultante de um descompasso da produção no início da pandemia.

Em seguida, algumas têmperas começaram a cobrar por arredondamento de 100 mm, quando o “normal” sempre foi de 50 mm para vidros comuns. Por exemplo, uma medida de peça de 1820 mm normalmente se arredondaria para 1850 mm. No arredondamento de 100 mm, para a mesma medida passou-se a cobrar por 1900 mm.

 

Para o vidraceiro, normalmente o último na linha que leva ao consumidor final, o maior problema são orçamentos já passados, calcados nos custos anteriores do vidro e estimados com arredondamentos de 50 mm. Como fazer?

 

A Corte Certo, que desenvolve o mais conhecido software otimizador de planos de cortes brasileiro, entende que cada um desses segmentos sabe onde o calo dói e o que ela pode fazer é tentar minimizar esse impacto.

A otimização dos planos de cortes das chapas de vidro com versões recentes do software, claro, é a principal solução. Mais que nunca é preciso aproveitar ao máximo o uso da chapa, e o novo motor de cálculo do programa pode fazer isso melhor que qualquer outra versão mais antiga.

 

Se o vidro está caro, é preciso otimizar.

Para a mudança no cálculo de arredondamento, a solução da boa otimização dos planos de corte continua válida. Mas o Corte Certo oferece um pouco mais. Ele permite calcular esse arredondamento alternativo de 100 mm, seja para conferência, seja para estimar corretamente o orçamento a ser feito.

Talvez seja o único software que oferece essa opção.

 

 

Justificativas para o aumento no valor do vidro

O aumento nos valores dos vidros pode variar entre fabricantes de 14 % a 18 %. Esse aumento está gerando grande preocupação entre temperadores e vidraceiros.  

Além de problemas com o alegado descompasso produtivo da matéria prima no início da pandemia, outra justificativa para o reajuste de preços seria o aumento no dólar, que impacta diretamente na alta dos valores de produtos importados para fabricação, como a barrilha e o carbonato de sódio.

Já o novo cálculo arredondamento, embora em prática, continua suscitando debates em que muitos defendem a sua simples extinção, em troca de preços por metros quadrados, simplesmente.

Ao vidraceiro, que não teve como se planejar (por exemplo, fazendo estoque) resta aprender a lição de não entregar orçamentos com validades longas. Para acordos já fechados, a transparência é sempre o melhor caminho, com exposição ao cliente de matérias jornalísticas e negociação de antecipação de pagamentos.

Deixe seu comentário