Seção

Fique por Dentro

Quais Epis o vidraceiro deve utilizar em uma obra​

Equipamentos de proteção individual garantem a segurança do instalador

22/11/2021

Muitas normas técnicas recomendam procedimentos para a fabricação e instalação do vidro, a fim de garantir a integridade do projeto e de seus usuários. O tema tem destaque e, muitas vezes, outra importante questão é negligenciada: a segurança dos instaladores. 

O trabalho do vidraceiro oferece diversos riscos, que precisam ser levados em consideração e evitados, através de equipamentos de proteção. A norma técnica ABNT NBR 7199 - Vidros na Construção Civil faz algumas recomendações quanto ao uso adequado de EPIs - Equipamentos de Proteção Individual. 

Os equipamentos de proteção individual protegem o corpo do vidraceiro de cortes, quedas e demais acidentes que possam ocorrer em uma obra. Confira quais são os EPIs indicados para vidraceiros: 

 

Luvas e mangotes anti corte

Utilizados para proteger mãos e braços, são feitos de materiais resistentes à perfuração e devem ser usados em todas as atividades. Para garantir a proteção, o profissional não pode deixar espaço entre a mão e o braço, pois essa parte exposta pode ser machucada. 

 

Luva de proteção comercializado pela empresa Glassparts

 

Avental

Protege toda a parte frontal do corpo, especialmente nesses trabalhos que envolvem cortes.

 

Óculos de proteção

Protegem os olhos de contra lascas e fragmentos de qualquer material que possam feri-los.  Existem óculos de proteção especiais para o manuseio de lâmpada ultravioleta usada na cura de colas. 

 

Botas

Precisam ser fechadas, sem cadarços e com biqueira de aço para dar proteção, firmeza e evitar tropeços e quedas. 

 

Capacete

Protege a cabeça de quedas de peças de vidro e outros materiais. O equipamento precisa ficar firme na cabeça do vidraceiro.

 

 

Instalações em altura

Para execuções acima de dois metros é necessário seguir as orientações da Norma Regulamentadora NR-35, que estabelece os requisitos mínimos de proteção para o trabalho em altura. 

Além de equipamentos de proteção, vale ressaltar também a importância do instalador estar com a saúde em dia, pois tonturas, por exemplo, podem causar desequilíbrio e queda. 

 

Cinto de segurança

O equipamento protege o vidraceiro mesmo em uma possível queda, pois um tropeço ou descuido pode acontecer mas não pode ser fatal. Por isso, é essencial em trabalhos em altura, já que nesse caso um descuido pode comprometer a vida do profissional. O cinto é conectado a dispositivos de ancoragem como vigas ou andaimes.

 

Protetor auricular

Em situações de muito ruído devido à utilização de máquinas, por exemplo, os ouvidos devem ser protegidos para que o vidraceiro não tenha danos em sua audição.

 

Manutenção dos EPIs

De nada adianta ter todos os equipamentos se estes estiverem danificados ou com sua validade vencida, pois não terão mais eficiência. 

Deve-se ficar atento às recomendações do fabricante quanto à vida útil, armazenagem e utilização do EPI. 

A empresa responsável pelo equipamento também precisa ter as certificações e indicações de capacidade do produto, as quais precisam ser rigorosamente seguidas. 

A vidraçaria deve sempre verificar o Certificado de Aprovação (CA) dos produtos, emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O empregador também se responsabiliza pela utilização desses EPIs por parte de todos os seus instaladores, pois pode responder legalmente por danos e acidentes. 

 

Fornecedores de EPI para o setor Vidreiro

Glassparts: https://bit.ly/glasspartsvi

Gusmão Representações:  https://bit.ly/gusmaorepresentacoes

 

 

Deixe seu comentário