Seção

Mercado

Os impactos do coronavírus no mercado vidreiro e na economia

Além do colapso no sistema de saúde, a pandemia poderá trazer consequências econômicas recordes

23/03/2020

A pandemia do coronavírus, que contaminou 300 mil pessoas no mundo e causou 11 mil mortes, também poderá trazer um colapso na economia mundial. A China, primeiro país a enfrentar o problema, já registra seus impactos com quedas recordes na produção industrial, varejo e investimentos em ativos fixos. 

 

Aqui no Brasil, a previsão é de dias difíceis, principalmente para pequenos empresários e profissionais autônomos, que, com a necessidade de fechar seus comércios e suspender suas atuações, terão suas rendas comprometidas. 

 

A situação se estende ao mundo todo e a crise financeira é inevitável. De acordo com o secretário-geral da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), Angel Gurría, a economia mundial sofrerá por anos, pois a recuperação não será rápida.

 

Mercado vidreiro 

 

As empresas do setor vidreiro em suas diversas frentes anunciaram a paralisação das atividades. Fábricas e têmperas seguem sem produção, e vidraceiros e vidraçarias suspendem instalações. A recomendação é que apenas se desloquem para serviços de urgência. 

 

A atitude, necessária neste período de surto, coloca em risco a saúde financeira destes pequenos empresários e autônomos do segmento, que, sem serviços, não receberão seus faturamentos e ainda terão que continuar arcando com as despesas mensais. 

 

Quanto ao abastecimento de produtos e insumos para o setor vidreiro quando a situação for regularizada não há motivos para grandes preocupações, já que os fabricantes geralmente trabalham com uma margem de produção que permite atender ao mercado, que no momento não terá muita demanda. 

 

impactos coronavírus no mercado vidreiro

 

Medidas do governo para conter a crise

 

Prevendo a crise econômica que está por vir, o governo tem se antecipado ao buscar soluções de incentivo e anunciou algumas medidas que devem injetar quase R$ 150 bilhões em três meses. Entre elas estão a liberação de empréstimos, a possibilidade de congelar contas como financiamentos por dois meses, antecipação de abono salarial e 13o salário para aposentados, além de alguns saques emergenciais do FGTS.

 

Fôlego aos pequenos empresários

 

Para os empresários, o governo possibilitou o adiamento do pagamento do FGTS por três meses e do pagamento da parte da União no Simples Nacional. Por três meses, empresas terão redução de 50% nas contribuições do Sistema S (conjunto de instituições de interesse de categorias profissionais, como Sesc, Sesi, Senac e Senai).

 

O governo deve liberar cerca de R$ 5 bilhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador em forma de crédito para micro e pequenas empresas. As medidas visam evitar que empresas fechem ou demitam funcionários em meio à crise. 

 

Funcionários na quarentena

 

Para evitar os prejuízos causados pelo custo de colaboradores sem produção e que não podem atuar em regime remoto, algumas ações podem ser tomadas, como antecipação de férias individuais, coletivas e de feriados, utilização do banco de horas, reposição deste período de recesso com o acréscimo posterior de duas horas por dia de trabalho, entre outras. 

 

O que fazer diante deste cenário?

 

As medidas do governo podem aliviar algumas situações, mas são somente para apagar o fogo e não serão suficientes para salvar um negócio. O momento exige alta capacidade de adaptação e jogo de cintura para buscar soluções e enfrentar os desafios, assim como em todo e qualquer período de crise.

 

Por hora, é possível manter o atendimento ao cliente por telefone, e-mail e whatsapp, tirar dúvidas sobre os serviços, enviar orçamentos online e agendar futuras instalações. 

 

As empresas fornecedoras de produtos e insumos para o setor seguem, em sua maioria, também em atendimento remoto, sendo possível consultar preços para a elaboração dos orçamentos e fazer pedidos para as instalações agendadas. 

 

 

A quarentena também é uma oportunidade de se preparar para o que está por vir e planejar quais serão as ações de remediação. Aproveite para rever seus sistemas de gestão e até se aperfeiçoar com mais conhecimentos administrativos. Infelizmente o cenário não é o mais otimista, mas a recuperação possível. 

 

Para informações atualizadas sobre a pandemia de coronavírus, acesse os órgãos competentes de saúde, como a OMS (Organização Mundial de Saúde) e o Ministério da Saúde

 

Decretos são atualizados nos sites dos governos e prefeituras de todas as regiões do Brasil, como no portal do Governo do Estado de São Paulo

 

Deixe seu comentário