Seção

Mercado

Expectativas para 2019

Após um ano de muitos percalços, o setor reage e aguarda a virada de um novo ciclo, cheio de expectativas e curiosidades.

14/01/2019

Após um ano de muitos percalços, o setor reage e aguarda a virada de um novo ciclo, cheio de expectativas e curiosidades. As esperadas decisões do novo governo de Jair Bolsonaro, que defende juntamente com seu economista Paulo Guedes uma cartilha liberal, tem animado empresários e acendido a esperança de retomada dos investimentos, assim como da liberação do crédito que movimenta o segmento da construção. Como de costume, para esta primeira edição do ano, consultamos diversos profissionais da cadeia vidreira e de segmentos afins para saber quais são suas expectativas econômicas e políticas, e entender o clima que permeia neste momento no mercado.

 

Ricardo Knecht, gerente geral para a América Latina da Guardian

Nossa expectativa com o fim das incertezas eleitorais é que haja uma retomada da confiança do mercado e que tenhamos um ambiente mais propício para um novo ciclo de investimentos. Para 2019, estamos investindo para aumentarmos nosso potencial de atendimento e ganharmos mais agilidade nos processos, com vistas a entregar as soluções mais adequadas no menor tempo possível.

 

Luiz Garcia, diretor da Lisec Sudamerica

Temos expectativa de um significativo crescimento no nosso mercado para este ano. Estamos otimistas com o novo governo, esperamos que dessa vez as mudanças e as reformas realmente aconteçam e que não fiquem somente nas palavras. Queremos acreditar que no ano de 2019 as promessas já tantas vezes ditas se transformem em realidade e que pelo menos coloquem o nosso país no caminho certo.

 

Gabriel Rosa, gerente comercial da LuxsolGlass

No primeiro semestre ainda teremos algumas dificuldades, devido à transição de governo, mas a partir do segundo semestre devemos ter uma retomada do crescimento. Acredito que, com o novo governo, muitos investidores vão voltar a injetar dinheiro no país, ajudando nossa economia.

 

Fabio Miranda, diretor comercial da Makit

Estamos bastante otimistas com o mercado vidreiro e de esquadrias para 2019. Passamos por um período de crise onde todos fomos obrigados a reduzir margens ao limite para nos mantermos em atividade. Acreditamos que esse é um momento de recuperação de margens e de novos investimentos, o que deve acelerar a economia do nosso setor.

 

Sergio Mesquita, sócio-diretor da GDS

A expectativa é que o mercado vidreiro possa crescer e retomar o aumento do consumo per capita no Brasil, gerando mais empregos e benefícios a toda cadeia vidreira. Esperamos que 2019 seja um ano produtivo, que o Brasil encontre os trilhos do crescimento, da organização, da geração de empregos, da desburocratização, da valorização do ser humano e retomada da dignidade de todo povo brasileiro. Que este novo governo tenha coragem de propor e aprovar todas as reformas necessárias, que possa dar exemplo e governar para toda coletividade em prol de um Brasil melhor.

 

Martin Mittelstaedt, comercial da Q-railing

Com a conclusão das eleições e a troca de governo a expectativa é de mais otimismo e melhora do cenário econômico. O novo governo terá de aprovar o mais rápido possível as tão necessárias reformas estruturais. Pensamos que uma melhora gradual no humor dos investidores já está se fazendo perceber, o que trará um cenário mais positivo para 2019. Tivemos um cenário político instável, aliado a uma das piores recessões da história do país, e esta insegurança gerou retração nos investimentos.

 

Cirilo Paes, instrutor técnico da GlassPeças

2019 será um ano de mudança e recomeço, pois afinal, após quatro anos de recessão, a expectativa do setor já melhorou e estamos acreditando que esse novo governo dará um novo fôlego para nossa economia. Espero um ano próspero e com consumo aumentando a partir do segundo trimestre.

 

Sergio Koloszuk, diretor comercial da Alclean

Nossa expectativa é de crescimento. Inclusive estamos fazendo grandes ajustes em nossa empresa para absorver esta demanda. O mercado imobiliário apresenta sinais consistentes de recuperação, e sempre que um novo governo começa renovam-se as esperanças da sociedade e o índice de confiança dos investidores aumenta.

 

Wagner Gerone, engenheiro e professor de curso para vidraceiros

O cenário que vai se apresentar acredito seja de esperança. Um novo governo sempre gera uma expectativa positiva, porém acredito que essa retomada será lenta. Ainda não sabemos quais as medidas que serão tomadas, pois todos os envolvidos são pessoas novas no âmbito governamental. Também as empresas precisam tomar fôlego para investimento, visto que nos anos anteriores esses têm sido bastante sufocados, e lembrando ainda que o número de desempregados é bastante grande.

 

Portanto, creio ser um ano de crescimento mas com bastante cautela. Espero que a construção civil, ramo ligado ao nosso negócio e um dos mais importantes e primeiros a alavancar nossa economia, tenha mais investimentos das empresas do setor e principalmente financiamentos, com juros não abusivos para a indústria e também para o consumidor, que são o motor propulsor da nossa economia.

 

Dante Boccute Junior, gerente de Produtos da dormakaba

As expectativas são boas dado a definição da eleição do presidente da república do Brasil e da formação da nova equipe de governo. Acreditamos que o mercado se estabilize e que os investimentos voltem a crescer. No mercado da construção civil observamos várias demandas reprimidas em função da ausência de financiamentos básicos neste segmento. Este ano há a sugestão de uma abertura de crédito, embora limitada.

 

José Romão Neto

Tenho uma grande expectativa otimista para este ano, mas acho que só teremos uma decisão mesmo após a posse do novo presidente e das suas ações iniciais. No atual momento já tivemos uma pequena reação após a definição das eleições, quando os investimentos que estavam aguardando o resultado das eleições já se movimentaram, mas de forma ainda muito tímida. Acredito que teremos uma retomada de confiança e que os investimentos retornem, trazendo novos horizontes para todos. Tenho fé que isto irá acontecer, temos que resgatar a confiança dos investidores para que possamos dar continuidade ao crescimento deste país.

 

José Antonio Passi, diretor da Divinal Vidros

Teremos um ano de 2019 no mercado do vidro com muita disputa de preços, não será um ano fácil para o mercado vidreiro, considerando que a oferta será bem superior que a procura em virtude das importações em trânsito e também pelo novo float que entrará em funcionamento. Em 2019 o mercado vidreiro deverá crescer em relação a 2018, mesmo assim, a oferta será superior. Com relação ao novo Governo, 2019 será bem agitado politicamente, devido às reformas que precisam ser votadas. Teremos um governo que demonstrará seriedade, procurará colocar o Brasil numa linha politicamente correta. Estou muito confiante no novo governo, não espero milagres, espero somente o que foi prometido, o resto os brasileiros sabem produzir.

 

Felipe Durões, sócio na Art Final Soluções em Vidros

Apesar dos pesares, acho que 2019 será melhor que 2018. Tenho notado uma melhora no mercado imobiliário, mas realmente a indústria precisa se posicionar com relação à regularização dos estoques para o mercado interno, senão não estaremos aptos para atender a demanda.

 

Gean Claude, da Unik Glass

Minha expectativa quanto ao próximo ano e ao novo governo são as mais altas dos últimos quatro anos, pois depois do término das eleições já começou melhorar o mercado e a expectativa dos nossos clientes.

 

Guilherme Silva, especificador técnico da Vidros Quitauna

Em relação às vendas para o nosso setor, 2018 particularmente para minha empresa foi muito bom. Conseguimos bater todas as metas mensais, neste ano contratamos ao invés de demitir. Acompanhando a bolsa de valores, a resposta dos investidores para a eleição do Bolsonaro, eu acredito muito que este ano tem de tudo para ser melhor ao nosso país. Novas parcerias, alianças, retorno financeiro. Acredito que será muito melhor do que o cenário que vínhamos vivenciando.

 

Everton Mendes, da Aluminia Brasil

Minhas expectativas são excelentes, estamos projetando dobrar nosso faturamento de 2018, o ano de 2019 promete ser um ano histórico para os negócios. O maior problema enfrentado no ano de 2018 foi a alta taxa de inadimplência e em 2019 esperamos que diminua com a queda do índice de desemprego. Minha expectativa é que o governo volte a ter credibilidade junto ao mercado, para que os investimentos cresçam novamente.

 

Rogério Depret Perentel, da Vidrologia Comércio de Vidros

2019 acredito que será um ano decisivo para sinalizar os próximos quatro anos. Existem outros meios de se blindar da economia e continuar crescendo. A ponta da pirâmide do ramo de vidros precisa se conscientizar que as vidraçarias precisam ter uma margem de lucro maior para sobreviver. O aumento de preços manipulado entre as fabricantes sufocam a cadeia de modo que as margens de lucro ficam espremidas. Não conseguimos repassar o mesmo percentual para os clientes porque senão ele busca outras alternativas. Então, seja na falta de vidro ou nos aumentos sucessivos e abusivos, as fabricantes espremem toda a cadeia abaixo. Repare que dificilmente existem grandes vidraçarias no mercado porque são difíceis de administrar devido à concorrência desleal, mercado altamente informal, mão de obra desqualificada, etc.

 

Luiz Guilherme Cícero, montador de temperados

Eu não tenho loja fixa, mas pego um serviço aqui outro ali de temperado e troca de vidro de esquadrias. Até fins de 2016 eu fazia checagem de esquadrias instaladas em prédios por grandes indústrias de esquadrias. Em 2017 e praticamente todo o ano de 2018, o serviço não existiu. Agora espero um 2019 bem melhor, pelo menos tenho feito mais instalação de temperado.

 

Joerly Santos, diretor da Corte Certo

A expectativa é de que seja mais um ano de expectativas. Que há grande demanda reprimida para o setor da construção civil, como um todo, ninguém duvida, até porque, o nosso déficit habitacional e de infraestrutura continua gigante e o nosso consumo de vidro per capita não passa de anão perto do de países mais desenvolvidos. Mas como reagir diante dos fatores que reprimem essa demanda? Era para estarmos sorrindo, afinal, vários especialistas nos diversos segmentos da construção civil lançaram suas fichas no ano de 2019. O problema é que o mundo mudou e não são poucos os que colocam um pé atrás e acendem a luz vermelha do alerta para uma visão de sentido oposto. Se as recessões econômicas mundiais são cíclicas a cada dez anos, mais ou menos, é de se esperar outra em 2019?

 

Há quem pense apenas nos motivos para esse pessimismo, que não são poucos, mas há também os  que os usem para pensar em alguma mudança estratégica de posicionamento no mercado. O substancial aumento de visitantes brasileiros à Glasstec 2018 pode ser um bom indício disso, já que a feira alemã, tida como a maior e mais importante do mundo, notabilizou-se como espécie de centro de negócios, por onde obrigatoriamente passam as mais importantes soluções tecnológicas antes de ganharem o mercado.  Quanto ao novo governo, tudo o que se pode prever, com algum grau de certeza, é que será diferente. De resto será mais um componente a fazer de 2019 um ano de expectativas.

 

Edson Fernandes, presidente da Abie

Muitas construtoras estão com os orçamentos engavetados. Há ainda uma dúvida com relação ao sistema de financiamento que libera crédito para a construção e a coloca em atividade. Com a estabilidade econômica e retomada do emprego esperamos uma melhora também um maior número de reformas e de movimentação no varejo com as lojas de materiais para construção. Fatores como aumento de 45% no preço do vidro influenciaram o setor de esquadrias, pois estas são vendidas com o vidro, encarecendo o produto final. Também enfrentamos a redução dos vidros fantasia no mercado.

 

Deixe seu comentário