Seção

Produtos

3 modelos de lapidadora que você precisa conhecer

Equipamentos modernos trazem cada vez mais eficiência na lapidação de vidros, proporcionando aumento da produção e diminuição da mão de obra

28/09/2021

A lapidação do vidro é um processo de finalização e acabamento muito importante, que proporciona ainda mais beleza e sofisticação ao material.

Além da estética, essa modelagem do vidro garante também a segurança, eliminando as partes cortantes das bordas e deixando a chapa mais resistente a trincas e quebras.

Há tempos atrás era feita de forma manual, com discos de ferro fundido com pedra ou areia. Hoje o processo evoluiu muito com o surgimento de equipamentos que fazem esse serviço com mais precisão e rapidez.

Com as lapidadoras a lapidação do vidro tem maior desempenho e menor necessidade de mão de obra. A tecnologia avança e o mercado de máquinas para vidro traz produtos cada vez mais eficientes. 


Lapidadora GP9 Glassparts

 

 

Lapidadora copo retilínea

As lapidadoras retilíneas são as mais comumente utilizadas por sua versatilidade, já que lapida vidros com diversos perfis e diâmetros. 

Uma das mais eficientes lapidadoras no modelo retilínea é a lapidadora Gp9 da Glass Parts, oferecida nas versões com e sem PLC. O equipamento possui 9 rebolos copo e pode lapidar vidros de 3 a 25mm de espessuras, na velocidade de 5 metros por minuto. Com voltagem 220V/60hz, possui as dimensões 7000 x 1400 x 2500.

Lapidadora bilateral

A lapidadora bilateral trabalha com o vidro na posição horizontal, o que garante mais eficiência e menos perdas. As duas faces do vidro são lapidadas simultaneamente, reduzindo também o tempo de execução.

Um dos modelos disponíveis no mercado vidreiro é a lapidadora bilateral para vidro da GR Gusmão, que abriga 2, 3 ou 4 rebolos no modelo copo ou periférico. Lapida vidros com espessura de 2/8 mm ou 2/12mm. Com potência total de 11,5 a 16,6 KW, a máquina possui as medidas 4200 x 4835 x 1850.

Máquina para Lapidação e Polimento de Bordas 

Existem diferentes tipos de acabamento das bordas do vidro, que trazem sofisticação e particularidade a cada peça. Entre os diferentes tipos de recorte estão o reto, também conhecido como filetado, o canto moeda e o arredondado.

Todos estes são feitos com precisão pela lapidadora com polimento de bordas da  Agmaq. Dotada de motor de 2 CV especial para lapidação de vidro, o que proporciona baixo nível de vibração, possui três discos, sendo um deles para lapidação e dois para polimento de bordas, recoberto por coifa protetora. 

O equipamento realiza lapidação e polimento de bordas em vidros modelados, redondos, retos e cantos moeda com acabamentos reto filete e meia cana, em vidros de 2 a 19mm de espessura.

De fácil manuseio, as guias verticais e horizontais reguláveis trazem maior firmeza na lapidação e polimento de bordas. A lapidadora tem ainda sapatas galvanizadas para regulagem de altura e com apoio e faces superiores emborrachadas, e motor dos rebolos também regulável em três movimentos: sobe/desce – esquerda/direita e para frente/para trás.

Manutenção de lapidadoras de vidro

As lapidadoras demandam um capital maior inicialmente, que retorna ao transformador em aumento da produção e com a diminuição da mão de obra. 

Porém, é um produto que precisa ter alta durabilidade, visto que este tipo de investimento não é feito em curto prazo. Para manter o rendimento do equipamento e otimizar sua vida útil, é essencial fazer manutenções constantes e preventivas. 

Muitos problemas podem ser resolvidos com a troca de peças, devolvendo à máquina sua eficiência. A Bardak possui peças de reposição para vários tipos de maquinário para vidro, inclusive lapidadoras diversas, de marcas nacionais, chinesas e italianas.

 

Fale com as empresas citadas nesta matéria:

 

Deixe seu comentário