Seção

Mercado

Arredondamento de 100 em 100mm do vidro gera polêmica

Cobrança de múltiplos de 100mm em vez de 50mm encarece o produto e desagrada alguns segmentos

08/09/2020

O vidro antes cobrado por múltiplos de 50mm agora passou a sofrer o arredondamento de 100 em 100mm. A mudança acabou gerando polêmicas e descontentamentos no segmento vidreiro. 

 

O que isso significa?

 

O arredondamento de 100 em 100mm significa que se um vidraceiro encomendar qualquer medida de chapa de vidro, a cobrança será feita arredondando para mais, a cada 10cm em vez de 5cm como era feito antes.

 

A mudança acaba tornando o arredondamento maior e, consequentemente, o preço mais alto. Por exemplo, se você pedir 1.820mm será cobrado por 1.900mm. Antes teria sido considerado o valor de 1.850mm. 

 

O motivo da mudança

 

A mudança foi feita para, de alguma forma, diminuir a perda das têmperas nos cortes das chapas de vidro.

 

A alteração, em geral, é benéfica para as transformadoras de vidro, mas, para o vidraceiro, traduz-se em um aumento de preço em um momento delicado do mercado. 

 

A atitude não deixa de ser, para alguns profissionais do setor, uma forma de subir o valor do vidro, o que poderia ter sido feito de maneira mais direta e com mais organização.

 

Faltou tempo para se preparar 

 

A reclamação do setor foi a falta de planejamento e brusca mudança, não dando tempo suficiente de todos os profissionais do mercado se adaptarem.

 

Muitos vidraceiros não tiveram acesso a essa informação, o que pode acarretar em prejuízos ao considerarmos que muitos orçamentos foram feitos sem a inclusão deste acréscimo no preço do vidro.

 

Abastecimento do vidro

 

No início do isolamento social as usinas de vidro, assim como as têmperas, paralisaram suas atividades como todos os segmentos da indústria e comércio. 

 

A pandemia que retraiu a economia mundial gerou também expectativas muito baixas de retomada.

 

Porém, o mercado começou a reagir rapidamente e a demanda a chegar de repente, acima do esperado. 

 

Acredita-se que essa movimentação foi motivada pela incerteza do futuro da economia, prejudicando os rendimentos das aplicações. 

 

Muitos decidiram então aplicar seu dinheiro em melhorias em seus imóveis, até porque a residência passou a ser o ambiente de maior convívio e necessidades foram surgindo. 

 

As fábricas, ao que tudo indica, não deram conta de voltarem a produzir o suficiente para abastecer a demanda do mercado. Vidros coloridos, em especial o fumê, estão em falta.

 

Recuperação do setor

 

A expectativa está otimista no mercado vidreiro, pois, o primeiro semestre, que historicamente é menos movimentado, já teve sinais de recuperação. O segundo semestre é mais promissor.

 

O mercado aponta para uma recuperação ainda maior em 2021, visto que a construção civil retomou seus projetos a todo vapor.

 

A fase de acabamento dessas construções, quando entra a participação do vidro, acontecerá no próximo ano, aquecendo ainda mais as vendas no segmento. 

 

Deixe seu comentário