Seção

Feiras e Eventos

VITRUM 2017

Referência no setor vidreiro, feira italiana recebe milhares de profissionais de todo o mundo para compartilhar conhecimento e as principais novidades do mercado de processamento do vidro

15/11/2017

A Fiera de Milano, na Itália, recebeu, entre os dias 03 e 06 de outubro, a 20ª edição da Vitrum, uma das maiores feiras do setor vidreiro, que apresentou as novidades e tendências do mercado de processamento de vidro. A exposição reuniu profissionais e empresas da cadeia vidreira de todos os continentes, dos Estados Unidos à Europa, da América do Sul ao Extremo Oriente, passando pela África do Sul. 

Em um espaço de 13 mil metros quadrados, 237 expositores apresentaram suas máquinas e produtos. “O valor das máquinas exibidas neste ano na Vitrum valem mais de € 12 milhões, uma clara confirmação da confiança que as empresas, italianas e estrangeiras, reservam para nossa feira”, destacou a engenheira Laura Biason, diretora da Vitrum. 

Foram quatro dias inteiramente dedicados ao mundo do vidro, sua mecânica industrial e suas aplicações, além de muito networking entre profissionais da cadeia de todo mundo. O número de visitantes superou as expectativas e os dados de 2015 em 20%. 
A próxima edição será em 2019. É possível acompanhar as novidades pelo site www.vitrum-milano.com. 

“Estamos orgulhosos pelo retorno positivo, confirmando o renascimento do mercado italiano, certamente favorecido pelas ferramentas disponibilizadas pelo Plano Nacional de Indústria 4.0”, disse Dino Zandonella Necca, presidente da Vitrum. “Para nós, este é o ano zero. Uma edição pela qual trabalhamos muito em termos de sinergias, envolvimento e promoção. Um novo caminho para a feira é agora oficialmente inaugurado, um caminho de compartilhamento de nossa indústria em escala”, completa.

Além dos tradicionais espaços de exposição e conferências, a feira contou com a inauguração da “Glass Experience”, que foi um dos momentos de maior destaque. A exposição organizada pela Vitrum na área de Tecnologia e Inovação apresentou móveis e artigos de decoração que são verdadeiras obras de arte esculpidas com vidro, mostrando até onde a tecnologia do processamento do vidro aliado ao talento e criatividade de designers, arquitetos e artistas vidreiros pode chegar.
“O interesse na oferta da exposição foi muito alto, confirmando que Vitrum é um show setorial que pode fazer a diferença. Estamos extremamente satisfeitos com os resultados. O vidro é o material de escolha para novas arquiteturas na Itália e em todo o mundo, trazendo oportunidades de treinamento e atualização e permitindo que designers, arquitetos e operadores descubram o que a mecânica de processamento de vidro realmente é capaz de fazer hoje”, ressalta a engenheira Laura Biason, diretora da Vitrum.

SAIE VETRO

Evento itinerante acontece a cada dois anos com o objetivo de levar conhecimento a profissionais de diversas regiões do País.

De 14 a 15 de setembro, a cidade de Curitiba (PR) recebeu a XIV do Salão Itinetante de Esquadrias, que reuniu 5 mil profissionais dos segmentos de esquadrias e do vidro de todo o Brasil. “A qualidade dos visitantes desta edição, que reuniu verdadeiros formadores de opinião dos segmentos de esquadrias e vidro, foi um ponto fortíssimo do evento. Tivemos visitantes de todo o Brasil, inclusive das regiões norte e nordeste A qualidade dos produtos também surpreendeu. Outro ponto importante foi a preocupação de todos com as normas técnicas do segmento”, ressalta Luis Henrique Tavares, diretor do Saie Vetro. 

Tavares destaca ainda a importância de eventos regionais como o Saie Vetro, que nasceu com o objetivo de levar conhecimento e informação às diversas regiões do país. “O objetivo é continuar levando informação e conhecimento por todo Brasil, para este que é um mercado carente de informação. Prova disso é que tivemos dois auditórios lotados todos os dias por pessoas que buscavam atualização de conhecimento e informação”, destaca.

Apesar de ter ocorrido na região sul, o Saie Vetro recebeu visitantes de todo país, por ser  consagrado no setor há muitos anos e por se tratar de um evento itinerante, que cada ano acontece em um estado. O Saie Vetro é bianual e já passou por SC, BA, MG, PE, GO, RJ e PR, geralmente intercalando com a Fesqua, maior feira de esquadrias das América Latina que acontece também a cada dois anos. Portanto, a próxima edição será em 2019, mas ainda não foi decidida a cidade. O evento é uma realização da Revista Contramarco, organizado pela Cesar Tavares Comunicação.

 

“O objetivo é continuar levando informação e conhecimento por todo Brasil, para este que é um mercado carente de informação. Prova disso é que tivemos dois auditórios lotados todos os dias por pessoas que buscavam atualização de conhecimento e informação”

Luis Henrique Tavares, diretor do Saie Vetro

 

“Como muitos empresários não conseguem sair de suas cidades para visitarem a Fesqua em anos pares, nós levamos o Saie Vetro nos anos ímpares para essas regiões, a fim de que todos os atuantes na cadeia produtiva de esquadrias e vidro tenham a oportunidade de acesso a novos produtos e serviços, além de novos fornecedores”, justifica o diretor do evento. 

Em paralelo à feira, aconteceram uma série de palestras dos eventos Vidro Som e Sebraser - Seminário brasileiro de Serralheria, que teve como tema ‘Tendências e Oportunidades para o Mercado das Esquadrias de Alto Padrão’. No Sebraser, as empresas puderam expor melhor os produtos que estavam lançando na feira. 
“Tivemos também o Encontro Regional da Indústria de Esquadrias que nesta edição teve como objetivo alinhar e fortalecer organização setorial, focando na qualidade e desempenho dos materiais e nos aspectos jurídicos da norma de desempenho”, acrescenta Tavares. 

VidroSom debate soluções acústicas

O VidroSom (Seminário de Soluções Acústicas em Vidro) apresentou soluções inovadoras e estudos de casos sobre conforto acústico e o valor agregado do vidro em projetos acústicos. Além disso, o encontro patrocinado pela Cebrace consolidou-se como importante ferramenta de informação e capacitação técnica para arquitetos, consultores e profissionais de esquadrias e acústica do País. 

O empresário Edison Claro de Moraes, diretor da Atenua Som e da Universidade do Som, idealizador do evento, não escondeu sua satisfação com o resultado do encontro. Elogiou o nível das palestras e a boa presença de público (mais de 130 pessoas). O engenheiro Fernando Westphal, professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fez uma comparação interessante sobre as diversas categorias de vidros, as diferenças, propriedades e transformou tudo em preços e watts.  

O gerente de Desenvolvimento de Mercado da Cebrace, Remy Dufrayer, deu um show ao abordar o tema “O papel do Vidro e da esquadria no conforto acústico“ . Com uma dinâmica interessante e perfeito domínio do tema, deu uma aula sobre os principais conceitos de acústica: onda sonora, frequência, intensidade, mistura de sons, ruídos e seus espectros, percepção do som, como tratar o ruído, e como o vidro isola o ruído, entre outros temas. 
Já Michele Gleice da Silva, diretora técnica do ITEC, apresentou a palestra “As normas técnicas brasileiras da ABNT e as esquadrias”, na qual destacou – por exemplo – o ensaio de simulação de rajadas de vento nas esquadrias provocando pressões positivas e negativas (sucção).

 O Vidro Som apresentou soluções inovadoras e estudos de casos sobre conforto acústico e o valor agregado do vidro em projetos acústicos. O encontro consolidou-se como importante ferramenta de informação e capacitação técnica para arquitetos, consultores e profissionais de esquadrias e acústica.

Na última palestra, o empresário Edison Claro de Morais destacou um “case” que acompanhou de perto durante sua visita ao Internoise 2017, em Hong Kong, no mês passado. “Um conjunto de prédios, estilo ao nosso ‘Minha casa, minha vida’, enfrentava grave problema de ruído e poluição sonora porque fica em frente de uma rodoviária e estação de trem. O problema foi resolvido da seguinte maneira: a janela fica aberta, o ar entra por um corredor cheio de absorção, chapa metálica e lã de vidro, que absorvem o ruído”, explicou, e concluiu: “Esse modelo também pode ser adotado para os prédios construídos junto ao viaduto Minhocão, em São Paulo”. O próximo VidroSom será realizado no ano que vem São Paulo, durante a FESQUA 2018.

Deixe seu comentário