Seção

Feiras e Eventos

Rota para o futuro

Glasstec antecipa os passos a serem trilhados pelo vidro nos próximos anos

24/06/2016

Entre outros produtos, a AGC destacou a família Lacobel T, única solução em vidros pintados temperáveis do mundo

Os mais de 40 mil visitantes que lotaram as passarelas do Düsseldorf Trade Fair Center, na cidade alemã de Düsseldorf, durante a última edição da Glasstec, foram surpreendidos com uma avalanche de inovações tecnológicas e, mais do que isso, testemunharam de perto a onda otimista que toma conta do setor, apontando para uma consistente reação à crise econômica que assolou a Europa no último ano. 

 

Mesmo empresas provenientes de alguns dos países mais fortemente atingidos, como Itália e Espanha, deixaram marcas de ousadia e crescimento na apresentação de seus produtos e metas de negócios, ao lado de outras dezenas de nações participantes. “A maioria dos clientes que nos visitou mostrou-se interessada em fazer negócios. Nossa participação foi altamente positiva, pois apresentamos uma ampla gama de novos produtos e verificamos um forte interesse por eles”, afirmou Marco Antonelli, diretor de marketing da fabricante italiana de máquinas Bottero

 

Paineis Dimex

Tecnologia de impressão digital da austríaca Dimax. Os paineis recebem as mais variadas texturas e padrões e chegam a medir 6 m de altura 

 

Maior evento mundial dedicado à indústria do vidro e sua cadeia produtiva, a Glasstec 2012 levou a Düsseldorf o que há de mais avançado no mundo vidreiro, em todas as suas segmentações. Realizado entre os dias 23 e 26 de outubro, a feira reuniu cerca de 1,2 mil expositores de todas as partes do globo para expor, conhecer e discutir as novas tendências do setor, tanto nos campos de máquinas, ferragens e sistemas, como na fabricação e beneficiamento do vidro, apontando também os caminhos a serem percorridos por especificadores que desejem explorar o vidro de forma mais ousada e criativa. “Ficamos impressionados com os resultados da feira, tanto em termos numéricos como pela gama internacional de visitantes”, afirmou o gerente de vendas Christoph Schmidt, da alemã Bohle Group, empresa que, com mais de 90 anos de atuação, é líder europeia no segmento de máquinas, ferramentas e acessórios para processamento do vidro plano. 

 

Segundo o presidente do evento, Udo Ungeheuer, a Glasstec 2012 se firmou como uma feira voltada para a inovação, consolidando-se como ponto de encontro chave para a indústria mundial. “Pudemos verificar que a grande maioria dos expositores saiu satisfeita do evento, com um balanço para lá de positivo e bom volume de negócios gerados”, disse o executivo. A feira esbanjou tecnologia ao exibir a infinidade de aplicações oferecidas pelo vidro e seus componentes de fixação, quer por meio de arrojados sistemas de fachadas para grandes edificações, quer pelo uso diferenciado em escadas, portas, pisos, mezaninos guarda-corpos e revestimentos internos. 
A arquitetura ousada presente em alguns estandes destacou a versatilidade e beleza do vidro, demonstrando quanto tecnologia e criatividade caminham de mãos dadas para o desenvolvimento de projetos cada vez mais envidraçados. Tudo como resultado de intensas pesquisas conduzidas pela indústria do vidro, em parceria com fabricantes de máquinas e acessórios. “Coberturas, paredes, pisos, hoje praticamente qualquer estrutura pode receber um acabamento especial com o uso do vidro”, afirma Clemens Kastenholz, diretor administrativo da beneficiadora alemã Clemens Kastenholz. “A Glasstec  demonstrou em seus estandes que, mais do que nunca, a vantagem competitiva reside especialmente no conhecimento técnico do material e de suas possibilidades, e na capacidade de ajustar-se às demandas do mercado.”

 

A suíça Bystronic ressaltou a parceria com a alemã Hegla na área de vidro

A suíça Bystronic ressaltou a parceria com a alemã Hegla na área de vidros arquitetônicos. Entre os destaques do estande estavam as linhas Speed’line e Speed’Assembler


Visitantes dos mais variados campos de atuação, incluindo engenharia mecânica e civil, indústria, beneficiamento, ferramentas, arquitetura de fachadas e interiores e energia solar, foram unânimes em destacar o sucesso da feira e o clima positivo que parece tomar conta do setor. “Todas essas áreas registraram uma aprovação acima de 90%, tanto com relação a metas de visitação quanto ao desempenho geral do evento”, reiterou Ungeheuer. “Também permaneceu elevada a porcentagem de gestores e tomadores de decisão, representando cerca de dois terços do total de participantes.”

 

Tecnologia viva

 

Situada entre as principais atrações da Glasstec, a Glass Technology Live mais uma vez prendeu a atenção de milhares de visitantes ao apresentar as principais novidades relativas ao processamento e aplicação do vidro, e evidenciou que o mercado brasileiro ainda se encontra defasado em alguns segmentos. Abordando as mais inovadoras funções exercidas pelo vidro na atualidade, a exposição foi realizada sob coordenação de uma equipe de engenheiros do Instituto de Design Construtivo da Universidade de Sttutgart e ganhou o público ao apresentar as tendências de aplicação prática do vidro que poderão se tornar realidade tanto em futuro próximo como distante. 

 

Módulo solar colorido

Módulo solar colorido, nova tecnologia de vidros fotovoltaicos integrados à fachada, apresentada pela instituto de pesquisa alemão Fraunhofer    

 

Edifícios fotovoltaicos orgânicos e integrados e uma janela que incorpora o vidro sem qualquer estrutura de sustentação visível foram alguns dos destaques dessa mostra recheada de surpreendentes e engenhosas criações, que expôs ainda o universo do vidro dobrável – porém estável – e elementos de fachada com formatos de grandes dimensões. Ao lado do “Centro de competência em vidros, fachadas e janelas”, que levaram à Glasstec o know-how de diversas associações especializadas, esses elementos deram vida ao Facade Center, área dedicada à reprodução de fachadas de todos os tipos, tamanhos, formatos e composições. A mostra Glass Technology Live foi acompanhada por um simpósio gratuito que debateu sobre uma grande variedade de temas. A gama de mostras especiais foi complementada pelo Centro de Negócios Especializados “Craft Center”, que, em uma casa de vidro, demonstrou as impressionantes soluções disponíveis para aplicação residencial, e pela exposição de arte em vidro (Glass Art), na qual cerca de trinta artistas e empresas da área expuseram peças que iam de esculturas a quadros, vasos e outros inusitados objetos decorativos. 

 

Já a Autoglass Arena foi especialmente concebida para os especialistas em vidro automotivo e contou com debates sobre as tendências da indústria, além do tradicional concurso International Master Fitter Competition, que premia os mais bem sucedidos reparos de vidros em automóveis.

 

Autoglass Arena

Autoglass Arena, espaço integralmente dedicado ao vidro automotivo

 

Energia solar em foco

 

Realizada paralelamente à Glasstec pela segunda vez consecutiva, a mostra Solarpeq focalizou produtos e equipamentos voltados para produção de energia solar. Entre os destaques, o evento contou com a conferência Solar Meets Glass, que, iniciada na véspera da abertura oficial, reuniu mais de 130 participantes para um debate aprofundado sobre a energia solar e sua importância para o planeta, tanto em termos econômicos como ambientais. 

 

A conferência concentrou-se em debates em torno do uso de vidros ultrafinos em painéis fotovoltaicos e na reciclagem de módulos solares, entre outros temas relacionados à arquitetura predial. “Com esta plataforma queremos oferecer aos nossos clientes a oportunidade de se beneficiarem do intercâmbio com especialistas do setor”, explica Hans Werner Reinhard, vice-presidente da Messe Düsselforf. 

 

Paineis fotovoltaicos integrados

A alemã Arnold Glas reproduziu uma cobertura com sistema de paineis fotovoltaicos integrados, instalada no centro de conferências Montabaur Castle, na Alemanha. O edifício usa energia geotérmica para aquecimento e resfriamento, em sua maioria gerada pelos vidros fotovoltaicos da fachada  

 

As palestras e debates não só propiciaram uma visão geral de mercado para a energia fotovoltaica, como também abordaram questões relativas a tecnologias de fabricação, eficiência, materiais e custos associados aos vidros fotovoltaicos, com foco particular nos vidros ultrafinos, nas diferenças entre os vidros float e laminados para aplicação fotovoltaica e nos últimos avanços em revestimentos antirreflexo para coberturas solares. 

 

Segundo Reinhard, trata-se de uma oportunidade única para a troca direta entre profissionais das indústrias vidreira e solar, abordando questões que afetam diretamente os dois setores. “Isso significa que, apesar do momento econômico, novas oportunidades de vendas podem se abrir para a indústria do vidro em médio prazo. Nesse meio tempo, o setor de energia solar pode usar o know-how da indústria do vidro para alcançar maiores níveis de eficiência e redução nos custos de produção.”

 


Os desafios para a integração da tecnologia solar às edificações deram o tom de boa parte dos debates na Glasstec. Outra conferência que deu ênfase ao tema foi a Engineered Transparency, voltada para os mais recentes desenvolvimentos no campo da construção de fachadas envidraçadas e envelopamento de edifícios com vidros de alto desempenho energético. Os tópicos em discussão giraram em torno de questões como sistemas estruturais, estabilidade, tensão, vidros laminados, duplos e triplos. Seu público-alvo incluiu cientistas, engenheiros estruturais, urbanistas, arquitetos e designers e demais especialistas em construção.  

 

Sistema de fachada Roschmann

Especializada em engenharia de fachadas, a alemã Roschmann expôs uma amostra do sistema instalado no edifício Channoine Cosmetics, composto por vidros triplos capazes de bloquear até 52% de radiação solar. Múltiplas aberturas na fachada externa garantem ventilação apropriada     

 

Automação e produtividade

 

Linhas de produção completas e em pleno funcionamento foram as vedetes do evento entre empresas do segmento de máquinas para fabricação e processamento do vidro. A complexidade de seus sistemas de automação, assim como a velocidade cada vez maior com que trabalham grandes volumes de vidro impressionaram os visitantes que percorreram os estandes especializados em ferramentas e maquinários. 

 

Dentre os fabricantes com presença global, a italiana Bottero destacou aos visitantes da Glasstec dois de seus mais recentes lançamentos: a lapidadora bilateral Two B, equipamento que trabalha tanto com rebolos copo como periféricos e, devido ao ângulo oscilante do rebolo, oferece acabamentos extremamente precisos, e a mesa de corte Evo Platform, que trabalha com duas pontes simultâneas.

 

Já a suíça Bystronic Glass deu ênfase à Speed Line, linha de produção para insulados com dois aplicadores automáticos de TPS (Thermo Plastic Spacer), e a Speed Assembler, prensa para inserção de gás em vidros insulados. “Diferentemente dos outros anos, em que os primeiros dias foram mais fracos, em 2012 recebemos grande quantidade de visitantes desde a abertura”, revelou o gerente de comunicação da empresa, Peter Nischwitz.  

 

Fabricantes de vidros em âmbito global marcaram presença com suas mais recentes inovações tecnológicas, especialmente as voltadas para energia solar e controle termoacústico. É o caso da Guardian, que estreou no evento como expositora, apresentando o projeto Pitágoras, sistema de vidro insulado com células fotovoltaicas internas, e um vidro especial que, insulado a vácuo e com minúsculos espaçadores, oferece alto isolamento termoacústico. Já a Saint-Gobain Glass deu ênfase às linhas Better Working, composta por vidros voltados para maior conforto em ambientes corporativos, e Better Living, para aplicações residenciais. “A Glasstec é a mais importante feira de negócios para nós”, afirmou a gerente de produtos da empresa, Eva Kazmierczyk. “Nosso estande recebeu um público diversificado, internacionalizado e altamente qualificado.”

 

Recém-chegadas ao mercado brasileiro, AGC e CBVP também participaram como expositoras. A primeira com um estande dedicado a produtos consagrados, como a linha de espelhos Glaverbel, com alta resistência à corrosão e a manchas; a família de vidros pintados temperáveis Lacobel T, única solução em vidros pintados temperáveis em todo o mundo; e o Organic Led, uma nova tecnologia que, integrada ao vidro, permite funcionalidades como acender as luzes com apenas um toque. Já a CBVP montou um espaço para atender seus clientes dentro do estande da francesa Fives Stein, sua parceira tecnológica no Brasil.

Deixe seu comentário