Seção

Mercado

Qual Sua Expectativa Para 2018?

Essa foi a pergunta que fizemos a diversos profissionais e empresários da cadeia vidreira para entender qual é o clima que paira sobre o setor. Confira as respostas

30/01/2018

O mercado vidreiro na última década deu um salto de crescimento e desde então vem se destacando no cenário da arquitetura e construção no Brasil e no mundo, tornando-se uma tendência irreversível. Entretanto, a crise dos últimos anos derrubou algumas empresas e preocupou muitas outras, que precisaram se reestruturar, se reinventar e buscar alternativas para superar estes momentos de incerteza. O ano de 2016, especialmente, não foi fácil, 2017 trouxe desafios, mas um otimismo maior. 

Para este ano, as estatísticas da economia preveem o fim do período de recessão com um crescimento ainda singelo. Para o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Brasil está evoluindo no processo de recuperação e deve fechar o ano com expansão de 3%. Segundo o relatório Focus, feito com base em pesquisa realizada com mais de 100 instituições financeiras e divulgado pelo Banco Central, a previsão do mercado para a inflação em 2018 é de 4,03%. Em 2017 a taxa Selic baixou 7% e a expectativa é que se mantenha estável neste ano. 

Entre profissionais e empresários do segmento do vidro, muitos já veem uma melhora, maior estabilização e expectativas otimistas, outros estão um pouco inseguros ainda com nosso futuro político incerto e as distrações provocadas pela Copa do Mundo. Por isso, perguntamos aos especialistas do setor suas avaliações sobre os últimos anos, como suas empresas têm passado por estas turbulências e o que eles esperam para 2018. 

 

 

Os últimos dois anos não foram fáceis, porém, quem conseguiu sobreviver sairá mais fortalecido. Toda crise gera oportunidades para a empresa, não se deve ficar lamentando e sim criar novas alternativas de negócio e re-inventar o que for necessário. A LiSEC entra em 2018 fortalecida, com novos produtos, novos modelos de negócios, mais conhecida no mercado e, principalmente, pronta para atender a todos os nossos clientes da América Latina com as diferentes necessidades de cada um deles. As expectativas para 2018 são bem favoráveis. Acreditamos que o pior já passou e entraremos num novo ciclo de recuperação, que não será rápido, mas sustentável.

Luiz Garcia
Diretor da LiSEC Sudamerica

 

 

A expectativa é de crescimento. As pessoas pararam de consumir por insegurança, pelo medo do desemprego. Apesar de ainda estarmos com um elevado número de desempregados, o medo de perder o emprego diminuiu, e com isso o consumo tende a voltar.

Sergio Koloszuk
Diretor Comercial da Alclean

 

 

 

 

O cenário já demonstra sinais positivos e de avanço no setor, o que nos deixa otimistas em relação à recuperação do mercado como um todo no país. Ainda assim, devemos manter os pés no chão e qualificar ainda mais as nossas soluções de acordo as tendências tecnológicas para oferecer o que há de melhor para o consumidor. Estaremos preparados para as incertezas do ambiente de negócios, porém confiantes sobre a capacidade de reação econômica do Brasil.

Tomas Catafay
VP da dormakaba para América Latina

 

 

 

 

Para nós da AL, 2017 foi um ano dentro do planejado. Temos uma ótima equipe e, juntamente com ótimos distribuidores por todo Brasil, superamos as expectativas com comprometimento e muito trabalho, o que nos faz entender que estamos no caminho certo. Vejo o próximo ano com muita atenção e bons olhos. A movimentação em relação às normas e a conscientização de nosso maior parceiro, o vidraceiro, nos faz acreditar em um mercado ainda melhor. Para 2018 iremos intensificar os trabalhos para colaborar ainda mais com o segmento. 

Max Del Olmo
Diretor da AL Indústria

 

 

 

Acreditamos em um cenário de crescimento moderado para 2018 diante das perspectivas projetadas para o setor imobiliário, que tem um importante papel na recuperação da economia brasileira, sendo um dos setores que mais contribuem para o aumento do consumo do vidro plano. Entendemos que a demanda por novas residências, combinada com a expansão do crédito imobiliário, contribuirão positivamente para o nosso setor.

Enfrentamos estes anos de crise com muita dedicação, criatividade e com um alto senso de responsabilidade. Mantivemos os nossos investimentos planejados originalmente, a exemplo das linhas de espelhos e laminados, com a alta qualidade, já reconhecida nos produtos Vivix. Em 2018, aumentaremos o nosso portfólio com a nova linha de vidros de controle solar. Estamos investindo, ainda, na expansão da nossa capacidade produtiva, com a instalação de equipamentos que aumentarão a nossa produção em até 15%. 

Henrique Lisboa
Diretor Comercial e Marketing da Vivix

 

 

 

 

Esperamos que 2018 seja um ano de crescimento sustentável e que, apesar de ser um ano em que teremos muitos feriados, Copa do Mundo e eleições, seja muito produtivo.

Flavio Sirotto 
Diretor da Arbax

 

 

 

 

 

2018 deverá ser um ano melhor, mas ninguém vai prometer isso com sincera convicção. Será, na verdade, um caldeirão em ebulição. Estaremos sendo despejados, para começar, nas incertezas de um ano eleitoral. Seguirá, para o bem, mas também para o mal, a Lava-jato. A instabilidade da conjuntura internacional, na montagem do nosso cenário, tem jeito de querer apresentar surpresas. São muitas as incertezas: Vamos recuperar o grau de investimento? Que tentáculos a “invasão chinesa” poderá lançar sobre o setor vidreiro? A crescente padronização das ferragens, as novas possibilidades funcionais e estéticas do vidro, as grandes feiras de negócios. Vai faltar vidro de novo? 

Minha expectativa não é de calmaria, mas de esperança que a fervura abaixe e que esses ingredientes decantem para começarem a fazer mais sentido como um todo. Enquanto isso, não há mal nenhum em continuar com o sistema alerta ligado. Parar não é opção. O Brasil nunca mais será como antes. O brasileiro está diferente. A crise, como é do seu feitio, provocou o sentido de sobrevivência, fazendo com que ideias já iniciadas ou apenas na cabeça, avançassem. Vidraçarias incorporaram funções de serralherias e/ou partiram para a transformação do vidro, na tentativa de abrir o leque de ofertas. Algumas se atrapalharam, outras viraram beneficiadoras ou têmperas. 

As distribuidoras de vidro passaram também a ofertar os serviços de corte a seus clientes, que, por sua vez, deixaram de precisar dos nossos. Os fabricantes dizem que buscaram o mercado externo para desovar parte da produção e, mesmo em tempos de baixa demanda, deixaram faltar vidro. Da nossa parte, no campo do software, fomos mais afetados que nunca. Em 2018 esse sentido de sobrevivência será mantido, mas é como se estivéssemos entrando em outra fase de um campeonato, em que parte dos players já não participa. Não deixamos de acreditar, nunca, que impulsos como esses podem ser o tranco que precisamos para fazer o motor pegar. 
 
Joerly Santos
Diretor da Corte Certo

 

A PKO enxerga o ano de 2018 como uma oportunidade de ligeira melhora nos negócios, mas sem grandes expectativas de alta superação frente à 2017. Neste sentido, nosso Budget para 2018 segue o que foi realizado em 2017. Nossa expectativa é que não haja uma queda em relação ao realizado neste ano, de modo que estamos sim otimistas, porém com um pensamento mais racional e mais conservador. 

A PKO já fez investimentos altos recentemente em modernização da fábrica e ampliação da capacidade produtiva, e estamos preparados para caso haja um aumento repentino na demanda. No que tange às ações, a PKO estará participando das duas principais feiras do setor - Glass South America e Fesqua e se concentrando em manter uma equipe de vendas qualificada e dedicada 100% a trazer os melhores negócios para a empresa.
 
Em 2016, sentimos uma pequena queda esperada em função da anunciada retração do mercado imobiliário e consequentemente da construção civil. Entretanto, na virada de 2016 para 2017 percebermos a queda nas vendas e tivemos que agir rápido para reverter a situação. O mercado mudou e os clientes estão mais exigentes. Decidimos então cortar custos, mas principalmente selecionar muito bem o nosso time, contando com colaboradores que buscam resultados e que são flexíveis. Finalizamos 2017 mais preparados para os desafios que o mercado tem a oferecer.

Ang Tun Jauw (YAO)
Diretor da PKO do Brasil

 

 

Para 2018 esperamos uma estabilizada maior no mercado e mais confiança para fazermos novos investimentos, como em novos maquinários. A expectativa é de um mercado mais próspero para o próximo ano, com novos distribuidores, para que façamos bons negócios, tanto para nós quantos para os clientes, para que eles saiam satisfeitos com os produtos e as negociações. A avaliação dos últimos dois anos não foi muito boa, mas agora as coisas estão se estabilizando e estamos conquistando novos clientes. Novas empresas entraram no mercado brasileiro com um valor mais baixo, nos obrigando a ser mais competitivos e buscar novas opções para baratear o produto sem perder a qualidade.
 
Marco Gabrielli Filho
Sócio-proprietário da Meron

 

 

 

 

2018 é um ano atípico em virtude da eleição presidencial. Será um ano de incertezas, uma vez que finda o ciclo do presidente Michel Temer e ainda não temos um presidenciável que possa mostrar um novo rumo para o Brasil.  Vale lembrar que 2018 será o ano em que deve ocorrer um basta na guerra fiscal entre os estados. Com a grande vitória do presidente e seu Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em segurar a inflação a níveis baixíssimos e reduzir a Selic para 7%, o dinheiro que está represado no mercado financeiro deverá vir para a produção. Com isso, deveremos ter um aumento na produção e no consumo, e assim, teremos em 2018 um ano com resultados melhores se comparados a 2017.

José Antonio Passi
Diretor da Divinal Vidros

 

 

 

É um ano de grandes expectativas. Os últimos dois anos nos deixaram muito apreensivos com um mercado em baixa, mas acredito que todos aproveitaram para se organizar e, no caso da Gusmão, nos fortalecemos internamente para alavancar melhores resultados.

Yveraldo Gusmão
Diretor da GR Gusmão Representações

 

 

 

 

 

Devido a uma expectativa de retomada da economia, temos que estar preparados para um aumento de demanda, então, é a hora de planejamento de ponta a ponta, pois as empresas que conseguirem ter um plano ousado conseguirão sair na frente da concorrência. Nos dois últimos anos, a Ludufix teve crescimento em torno de 20% ao ano, isso ocorreu devido ao trabalho de explorar novos mercados onde não atuávamos e agregar novos produtos em nossa linha para atender aos nossos clientes. Em relação ao próximo ano, vamos seguir a receita que vem dando certo para, ao menos, manter nosso crescimento dos anos anteriores.

 

Eduardo Abreu
Diretor comercial da Ludufix

 

 

 

A chamada “crise” instalada em nosso país realmente trouxe muitas mudanças no mercado, mas acreditamos que aos poucos as pessoas vêm se conscientizando, trabalhando mais e reclamando menos, isso faz com que a evolução aconteça. Para este ano nossa expectativa é otimista, pois percebemos que, com muito trabalho e empenho, conseguiremos levar a BL Glass a um resultado positivo em 2018.

Landia Farias
Diretora Comercial da BL Glass

 

 

 

Minhas expectativas são muito positivas. O vidro não apenas ganhou grande destaque em todos os segmentos em que está presente, como cada vez mais está se tornando o protagonista de muitos projetos. Neste ano foram muitos os grandes projetos apresentados em feiras tendo o vidro como principal elemento construtivo, e não mais apenas como um coadjuvante. E é esta a grande tendência para 2018, que exigirá de todos os envolvidos o máximo de esforço e um profissionalismo jamais visto. E é claro que a Polividros já está preparada para atender a esta demanda.
  
O nosso preparo para o boom do mercado vidreiro em 2018  é fruto do trabalho desenvolvido justamente ao longo dos últimos dois anos em nossa empresa. Investimos em ampliação da frota, melhoria dos processos, integração de serviços, aumento do portfólio de produtos e, principalmente, em uma melhor comunicação. E tudo isso culminando com as comemorações de 20 anos da empresa, justamente na melhor fase da nossa história. Com tudo isso acontecendo, mantivemos crescendo nosso fluxo de vendas.

Aneli Polidoro
Diretora executiva da Polividros

 

 

Sentimos o clima mais otimista para 2018 e acreditamos que as feiras irão refletir esse estado de espírito.  Vamos torcer para que de fato 2018 indique uma retomada mais consistente e não apenas um “voo de galinha” como tivemos no início de 2017.

Sergio Minerbo
Diretor-presidente da UBV

 

 

 

 

 

O mercado já apresenta uma reação positiva que vem desde o final de 2017. Esperamos um crescimento próximo a 20% em 2018, e para isso intensificamos o relacionamento com os clientes, além do lançamento de novos produtos e criação de novas estratégias de trabalho. 2018 não será um ano fácil, mas será melhor que 2017, com certeza. Em visitas nos diversos clientes que temos ao redor do Brasil, percebe-se que as cidades já estão retomando obras paradas por conta da crise, como em 2015 e 2016, e consequentemente nosso mercado vidreiro voltará a crescer. É importante lembrar que nosso produto é um dos últimos itens a entrar na obra por ser um material mais frágil e de acabamento, então se os demais mercados da construção civil apresentam avanço agora, a nossa evolução mais consistente virá daqui a alguns meses. Acreditamos que o segundo semestre de 2018, mesmo com eleições e Copa do Mundo, será muito produtivo e significativo em vendas. Em 2017, mesmo com a crise conseguimos crescer. A nossa meta para 2018 está muito mais otimista e com os projetos e estratégias que estamos implementando, vamos surpreender o mercado e continuar nessa escala evolutiva. 

A crise foi positiva para filtrar o segmento. Infelizmente, o nosso mercado também conta com empresas que trabalham com produtos de baixa qualidade, atendimento ruim e preços desleais. Nesse sentido, apenas as empresas mais conceituadas e preparadas conseguiram passar pelas dificuldades, que é o caso da Ideia Glass, há 35 anos no mercado. Outro fator que observei é que muitas ficaram focadas em resolver apenas os problemas internos, e por conta disso, deixaram de investir em inovações, atendimento e parcerias. Nós acreditamos que apenas a melhoria interna não basta. Otimizar recursos e processos operacionais é importante, porém, mais que isso, o relacionamento com o cliente é primordial. 


Érico Oliveira Miguel 
Diretor de Planejamento da Ideia Glass

 

O vidro vem tomando cada vez mais espaço no mercado da construção, requisitado por arquitetos e engenheiros em suas obras, pois é um material clean e nobre. Por isso, as expectativas da Soprano para o mercado vidreiro são muito boas. Em novembro, lançamos 48 novos códigos de fechaduras completas para portas e janelas de vidro, nas suas diversas aplicações entre portas de correr e pivotante, nos modelos Blindex e Santa marina, nos acabamentos cromado, prata, branco e preto. Era uma necessidade de nossa força de vendas e clientes, que rapidamente foi recebida com muito prestígio.

Cristine Duso
Coordenadora de Marketing da Soprano Fechaduras e Ferragens

 

Cerca de 10 a 12 anos atrás se falava muito que o vidro dominaria o mercado, e isso realmente de fato aconteceu, o mercado de vidro teve um grande e acelerado crescimento até meados de 2014. Quando o País entrou em uma crise política e econômica, o mercado de vidro teve uma grande desaceleração no seu crescimento. A expectativa para 2018 é que o mercado continue reagindo, sabemos que terá crescimento, mas não na velocidade que gostaríamos, o crescimento continuará acontecendo de forma lenta.

O ano de 2016 foi muito ruim para o mercado e levou muitas empresas a baixarem as portas, podemos dizer que foi o pior ano da crise. Já 2017 não foi como esperado, mas o mercado demonstrou reações e trouxe um crescimento mesmo que pequeno. A esperança é que 2018 seja melhor ainda e vamos todos trabalhar para que isso ocorra, mas a incerteza ainda existe e 2018 é um ano de eleição, o que torna 2019 um ano de incertezas.


Tiago Edagi
Marketing da T&M

 

Com o gradual aquecimento da economia, o mercado vidreiro naturalmente irá retomar sua força. Haverá um foco cada vez maior em soluções de valor agregado, orientadas a atender públicos especificadores e projetos de arquitetura, permitindo que as indústrias vidreiras tenham retornos cada vez mais substanciais e se capacitem a utilizar o vidro em processos cada vez mais complexos.

A Saint-Gobain investiu na qualidade de seus produtos e processos produtivos. Alcançando um nível de excelência que a permitiu retomar ações comerciais não apenas com seus já tradicionais parceiros internos, mas também abrindo novos mercados junto à exigentes beneficiadores de vidros espalhados pelo mundo. Em 2017, mercados como américas latina e do norte, África e oriente médio passaram a contar com a presença dos vidros Saint Gobain fabricados no Brasil. 

Além disso, as melhorias nos processos industriais nos permitiram investir em novos produtos, como o SGG Marine, que une a elegância da textura do Listral K, com um desenho exclusivo, podendo este ser feito em inúmeras cores de massa, agregando em vida e qualidade aos projetos e obras pelo Brasil. Retomamos também a produção do SGG Aramado, iniciando a fabricação do mesmo em massa colorida, agregando em projetos não apenas pela segurança, mas também pela beleza e design. Na parte de comunicação, a Saint Gobain inova ao segmentar seus produtos em três linhas de produtos (Stillo, Vitta, Técnika) direcionando suas soluções para diferentes públicos alvo.


Gabriel Gabbay Zanatta
Coordenador de Marketing da Saint Gobain Glass Brasil

Deixe seu comentário