Seção

Tendência e Tecnologia

Produção automatizada

Tecnologia facilita processos, diminui mão de obra e garante um produto final com mais perfeição e qualidade. Saiba como os transformadores aplicam seus recursos para ganhar competitividade no mercado vidreiro

21/12/2016

 

Transformadores investem nas diferentes etapas dos processos de beneficiamento para acelerar a produção, garantir maior segurança, otimizar tempo e melhorar a eficiência do produto final.  “Toda tecnologia fornece agilidade na produção, redução de manuseio dos vidros e aumento da precisão na produção das peças, gerando maior qualidade nos projetos confeccionados”, afirma Ariston Morais, sócio-diretor da New Temper.

A empresa investiu em uma linha de engenharia com lapidadora bilateral e comando numérico computadorizado para furos e recortes. Outro investimento que também rendeu agilidade e qualidade, além de diferencial competitivo, foi o forno de têmpera com capacidade de temperar chapas de vidro de 3210 x 7000mm, sem perda de tempo de produção na troca de espessura. A beneficiadora aposta em equipamentos das marcas italianas Bottero, Keraglass e I.M.M.M.E.S.

Para acompanhar as principais mudanças do setor, em especial na área de tecnologia, o Palácio dos Cristais também aplicou, nos últimos anos, investimentos em equipamentos de primeira linha que garantem alta qualidade e precisão em cortes, recortes e perfurações, medição de modelos e moldes, técnicas essenciais para atender à demanda exigida pelo ramo da construção civil. “Investimos em uma lapidadora automatizada que garante agilidade no processo produtivo, um diferencial no mercado de vidros. Com os avanços do setor é essencial buscar cada vez mais aprimoramento e eficácia no beneficiamento de vidros”, avalia Nilson Roberto Rocha, gerente da empresa.

Já a Elohim resolveu apostar em um classificador automático. “Antes o processo era mecânico. Com essa aquisição aperfeiçoamos a estocagem da matéria-prima, otimizamos a logística e o espaço, além de tornar o processo mais rápido”, conta Jhones de Oliveira, diretor comercial da empresa. “Em nosso planejamento programamos investimentos que trarão retorno para a empresa porque se ficarmos estacionados não teremos o melhor produto e atendimento. É importante fazer uma pesquisa de mercado e analisar as necessidades de investimento da empresa”, completa.

Gestão Moderna

Para alinhar o funcionamento dos investimentos em equipamentos de alta performance, o Palácio dos Cristais apostou na aquisição de um moderno software para controle total da área administrativa e de produção, do pedido realizado no departamento de vendas até a expedição. “Informatizar todos os processos internos foi essencial para acompanhar a evolução no mercado de vidro. O sistema possibilitou 100% de otimização em todas as etapas, garantindo rastreabilidade em cada um dos processos. Isso proporcionou melhorias em todos os setores da empresa, além de promover benefícios ao cliente que consegue acompanhar sua encomenda em nosso site”, explica Nilson Rocha. 

A Elohim também apostou em um software direcionado para o mercado de vidros para garantir a eficiência de sua produção. “Através dele faço toda administração, a parte financeira e fiscal, controlo a produtividade, pedido, orçamentos. Temos todo suporte online para acompanhar a produtividade de cada setor, nos comunicamos com todo maquinário, inclusive o cliente pode visualizar seu pedido e saber em que etapa do processo sua encomenda está, se na lapidação, lavagem, corte, etc. O cliente pode ainda fazer o pedido pelo aplicativo, tudo rápido e prático, em uma plataforma com a qual a maioria dos clientes se adaptaram”, conta Jhones Oliveira. 

O sistema chamado Web Glass trouxe ainda economia de mão de obra, aumentou o controle da gestão e agilizou as tomadas de decisões. O empresário ressalta que com um controle maior de cada processo fica claro quais as necessidades da empresa e o que traz mais ou menos retorno. “Tudo isso acaba refletindo na rentabilidade em curto e médio prazo. Informação é muito importante, quanto mais temos informação e controle, mais entendemos o que dá lucro ou prejuízo”. 

Forvet

Perfuração precisa

A Forvet, furadeira de marca italiana adquirida pelo Palácio dos Cristais, garante precisão em recortes e perfurações para atender a demanda exigida pelo ramo da construção que está cada vez mais exigente. “Dessa forma, conseguimos ampliar nosso atendimento às construtoras e escritórios de arquitetura e design de interiores oferecendo peças em vidro com mais qualidade e rapidez, pois o equipamento também proporciona trabalhar com prazos menores”. Este foi um dos melhores investimentos da empresa, de acordo com Rocha, para atender o mercado com de forma eficaz e qualitativa. 


Lapidadora

Lapidação automatizada

A linha de lapidação automatizada, da marca belga Socabelec, também aprimorou o processo produtivo do Palácio dos Cristais, exigindo menos esforço físico da equipe de produção. Com tal investimento, foi possível ampliar a agilidade nessa etapa produtiva. 

Classificador

Classificador automático

O processo de estocagem e logística das chapas de vidro automatizado otimiza o espaço e torna o processo mais rápido.

Medição portátil

Proliner, outro equipamento de origem italiana adquirido pela Palácio dos Cristais, oferece precisão na medição de modelos e moldes, identificando traços de forma detalhista, dispensou o uso de moldes, o que representa uma importante economia para construtores e arquitetos. De fácil locomoção, pode ser levada em qualquer obra para a realização de medições ‘in loco’.

Mesa de corte ágil

Umas das novidades da marca italiana Bottero é a  Mesa de Corte Monolitico modelo 363 BCS, que apresenta na ponte diferentes funções, como cabeçote para corte reto e em formas, cabeçote com rebolo para cortar camadas milimétrica do vidro Low-e, e cabeçote para colocação automática de etiquetas. Outro lançamento recente é a  Mesa de corte Laminado, 548 LAM, com sistema de corte, destaque e separação do vidro completamente revolucionário, patenteado pela Bottero, que a torna a máquina mais rápida do mercado. 

A Lisec lançou na Glasstec uma nova mesa de corte para vidros laminados chamada base Lamicut, que se destaca pelo design compacto, baixo custo e a possibilidade de ser combinada com uma máquina de corte para vidros float.

 

 

 

 

Deixe seu comentário