Seção

Arquitetura e Vidro

Paisagem restaurada

Antigo lixão nos Emirados Árabes é recuperado e recebe um centro de pesquisa e conhecimento totalmente envidraçado que se mistura com a nova vegetação do local e seus milhares de pássaros

21/12/2016

Localizada em Sharjah, nos Emirados Árabes, a Wasit Natural Reserve era originalmente uma área de despejo de lixo e esgoto. Em 2005, o local passou por um processo de reabilitação do ecossistema danificado, quando foram removidos 40.000m2 de lixo e replantadas 35.000 árvores. 

A terra foi restaurada dos produtos químicos tóxicos e suas salinas e dunas de areia costeiras exclusivas recuperadas. Depois de anos de esforços, as aves retornaram ao local, que hoje é uma zona de pouso de 33.000 pássaros de 350 espécies de aves. O projeto de revitalização trouxe de volta a vida e a natureza à região, devolvendo o “pulmão” da cidade. 

Para continuar a proteger o ambiente natural, educar povos sobre a riqueza do Ecossistema de zonas húmidas e fornecer informações sobre as aves que frequentam a área e arredores, foi construído anos depois um centro para os visitantes e pesquisadores. E para aproveitar ao máximo essa paisagem recuperada, foram projetadas grandes aberturas. 

A arquitetura do centro mistura-se com o seu entorno e utiliza a topografia existente para minimizar o impacto visual sobre o ambiente natural. Quando os visitantes chegam, um caminho leva-os subterrâneos em uma galeria linear. Uma parede totalmente transparente permite aos frequentadores experimentar o ambiente natural das aves e tornar-se parte dele.

O projeto contou com uma grande equipe de arquitetos e designers: Ahmed Al-Ali, Farid Esmaeil, Mirco Urbano, Pariya Manafi, Sheikh Dana, Abdullah Bashir, Waleed Al Mezaini, Christian Geronimo, Brian Abarintos, Eyad Zarafeh e Haideral Kalamchi. 

Após a remoção de 40.000 m2 de lixo e restauração da terra contaminada,  a região hoje tem 35.000 árvores e é zona de pouso de 33.000 pássaros de 350 espécies de aves

Para aproveitar ao máximo a nova paisagem, foram projetadas grandes aberturas

Quando os visitantes chegam, um caminho leva-os subterrâneos em uma galeria linear

 

 

Deixe seu comentário