Seção

Empresas e Negócios

O controle do fluxo de caixa garante a saúde financeira de uma vidraçaria

Controlar tudo que entra e sai de seu negócio vai garantir seu lucro, assim como ajudar no planejamento de melhorias, pois entenderá onde estão os principais gastos e entraves

27/06/2017

Para não perder o controle do negócio, o empresário deve anotar diariamente em uma folha de caderno, planilha do Excel ou Software o que gasta e o que vende, ou seja, as receitas (dinheiro que entra) e as despesas (dinheiro que sai). Não existem fórmulas prontas para o controle do fluxo de caixa, o empresário deve ter planejamento, objetividade, dedicação e disciplina para conseguir um fluxo de caixa eficiente.

 

Custos são todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas e insumos consumidos no processo de estoque e comercialização.

 

De acordo com orientações do Sebrae, o cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maiores as chances de ganhar no resultado final do negócio.

 

A porcentagem que deve ser investida para o fluxo de caixa depende de cada negócio. É muito importante manter uma planilha de fluxo de caixa para administrar os pagamentos de forma correta. Com isso, será mais fácil se organizar para pagar as contas pontualmente e, assim, obter vantagens junto aos fornecedores. O Sebrae preparou um modelo de planilha para ajudar o empresário, que está disponível no portal, por meio da ferramenta de busca com as palavras-chave: “Planilha de fluxo de caixa para controle de pagamento”.  

 

 

Planejamento

 

A instabilidade de qualquer negócio tem que estar prevista no planejamento. E começar sem nenhum capital é muito arriscado. De acordo com Marin, o ideal é ter garantidas as despesas de três a seis meses.  Mesmo depois do negócio engrenar, para manter a saúde de seu empreendimento, se faz necessário uma reserva em caixa para gastos imprevistos.

 

A falta de planejamento fez com que o sonho de Joyce Ortega e de seu irmão Tiago chegasse ao fim. Os irmão alugaram um galpão, colocaram um computador e apostaram a sorte em uma pequena vidraçaria com o caixa praticamente zerado. O que pode parecer loucura, realmente vingou no início: a dupla dona da SOS Vidros chegou a ter três lojas e doze funcionários. No ano passado, no auge da crise econômica, quebraram. 

Deixe seu comentário