Seção

Feiras e Eventos

O avanço do vidro na China

Em sua 23a edição, China Glass recebe empresas de 28 países e ganha mais 20 mil metros quadrados de área de exposição

02/06/2016

Bystronic - China Glass 2012

A indústria vidreira chinesa experimentou um rápido e notável crescimento nos últimos anos, tendo testemunhado ajustes estruturais que resultaram em inovação, avanços tecnológicos, redução de consumo energético e de emissão de poluentes. Dados da Chinese Ceramic Society (Sociedade Chinesa de Cerâmica) revelam que o aumento da produção de vidro float no país supera os 87% e a capacidade produtiva de vidros de alta qualidade atingiu crescimento de 35%. Tecnologias envolvendo vidros de grandes dimensões, redução do consumo energético, tratamento de efluentes e baixa emissão de carbono têm sido largamente aplicadas em toda a cadeia vidreira.

 

Apesar dos avanços, a China ainda enfrenta problemas não somente relativos à infraestrutura, mas também no que se refere à escassez de matéria-prima, cadeias industriais defasadas e de baixo valor agregado, intensidade insuficiente dos processos produtivos e baixo nível de equipamentos e tecnologias consideradas imprescindíveis para o setor.

 

Diante desse cenário, promissor, mas repleto de desafios, a China Glass 2012, evento organizado pela Chinese Ceramic Society e produzido pelo Zhonggui Beijing Exhibition Co., configura-se como importante reduto de oportunidades e geração de negócios em um país ainda em busca das bases para sanar deficiências e implementar os recursos necessários para sua consolidação como nova potencia mundial do setor do vidro.

 

Realizada em Xangai, entre os dias 2 e 5 de abril, a feira ocupou sete pavilhões do Shanghai New International Expo Center, cobrindo uma área de mais de 80 mil metros quadrados, 20 mil a mais que na edição anterior. Maior evento asiático do ramo de vidros, a China Glass já é considerada a segunda maior feira vidreira do mundo. “É a única exposição internacional de vidros patrocinada e apoiada por todas as indústrias relacionadas ao vidro e departamentos governamentais e associações de negócios da China”, afirma Joe Zhou, membro da comissão organizadora do evento. “Por ser uma excelente plataforma de negociações internacionais e intercâmbio de informações técnicas e de mercado, a exposição atrai visitantes estratégicos, incluindo o consumidor final e representantes decisivos da cadeia vidreira mundial.”

 

Da China para o mundo

 

Em sua 23ª edição, a China Glass reuniu cerca de 850 expositores de todo o mundo. Além das companhias chinesas, o evento recebeu empresas da Alemanha, Itália, Estados Unidos, Bélgica, Reino Unido, França, Rússia, Índia, Japão e outros 16 países. A área internacional da exposição, que ganhou mil metros quadrados em comparação com o ano anterior, totalizando uma área de 7mil metros quadrados, contou com a participação de 250 empresas.

 

 

China glass 2012

Como nos anos anteriores, Alemanha, Itália e EUA tiveram pavilhões exclusivos. “Embora a economia europeia ainda esteja sofrendo com a recessão, as empresas italianas participaram da China Glass com grande entusiasmo”, afirma Zhou. Segundo ele, houve também um aumento significativo da participação de empresas fabricantes, que escolheram o evento como palco para o lançamento de seus mais recentes produtos e tecnologias para o setor.

 

Segundo recente matéria publicada no jornal americano Wall Street Journal, alimentadas pelo crescimento do mercado interno, as empresas chinesas têm conseguido eliminar em poucos anos a brecha de décadas de avanço tecnológico que as separava dos países industrializados. Atualmente, a China tem 150 linhas de produção de vidro float. Até o início dos anos 70, o país tinha presença minúscula na indústria de vidro. Mas o rápido crescimento das indústrias locais de automóveis e de construção civil desde então criou uma demanda crescente por vidro local.

 

Um dos entraves para o crescimento do setor no país, segundo Zhou, é o alto consumo de energia. “Os objetivos para os próximos anos deverão se concentrar em ajustar a estrutura industrial do setor vidreiro e disseminar tecnologias de baixo consumo energético”, afirma o representante da China Glass.
Nesse contexto, completa Zhou, além de apresentar novas máquinas e acessórios, a China Glass 2012 procurou dar ênfase particular a vidros de controle solar e baixo emissivos, materiais de vedação e produção de células e painéis fotovoltaicos, além de tecnologias de processamento e sistemas de testes e medição.

 

Confira a cobertura do China Glass 2013

 

 

Deixe seu comentário