Seção

Arquitetura e Vidro

Luz de Minas

Projetada pelo arquieto mineiro Gustavo Penna para um casal de amigos em Nova Lima, Minas Gerais, esta casa localizada no condomínio Serra dos Manacás concilia vista privilegiada e privacidade.

22/06/1949

Nesta residência em Nova Lima, a 30 km de Belo Horizonte, a junção de vidro com painéis de madeira foi a solução encontrada para valorizar a vista e, ao mesmo tempo, preservar a privacidade de quem está dentro.

Projetada pelo arquieto mineiro Gustavo Penna para um casal de amigos em Nova Lima, Minas Gerais, esta casa localizada no condomínio Serra dos Manacás concilia vista privilegiada e privacidade. As paredes transparentes garantem contato direto com a paisagem da região e, sobretudo, com o belíssimo céu mineiro. “A casa foi pensada como uma homenagem ao ar, às nuvens, às estrelas”, conta Gustavo, que, embora à frente de grandes empreitadas, como a readequação do Mineirão, para a Copa de 2014, não esconde sua paixão pela arquitetura residencial.

 

 A intimidade dos donos, explica Gustavo, foi preservada por painéis de ipê, que, quando fechados, vedam a fachada, formando uma cortina de aparência contínua. “A composição é formada por partes autônomas, que permitem dosar a entrada de ar. O vento gelado da região não entra graças às folhas de vidro deslizantes”, ressalta o arquiteto.


A área social, no centro da construção, é toda fechada com vidro, favorecendo a vista para as montanhas. “Além de integrados, os ambientes são amplos e luminosos, abertos ao sol”, diz Gustavo.

 

Os vidros usados no projeto foram fabricados pela Cebrace e instalados pela Mundo dos Vidros, empresa que há 17 anos atua no mercado de instalação de vidros planos para construção civil, arquitetura e decoração. O fechamento foi feito em vidro cristal verde de 8 mm, com resina de laminação. “Usamos vidros de alturas especiais e, para garantir a segurança, optamos pelo laminado. Os vidros com resina conferem flexibilidade e proteção UV”, conta Gustavo.
Luz de Minas
 

 

 

A altitude é de 1200 m. Nos dias claros, é possível ver o mar de montanhas ondulando até 60 km na paisagem. A casa é uma homenagem a essa linda natureza. Um quadrado com um cubo de vidro no centro, que brinca com a luz, com o ar, as nuvens e a distância.

Deixe seu comentário