Seção

Feiras e Eventos

Glasstec-Solarpeq 2010: casamento estratégico

Arquitetura futurista, sustentabilidade e energia solar foram alguns dos ingredientes explorados no maior evento mundial do setor vidreiro

25/06/2016

As maiores representações na Glasstec foram da Alemanha e Itália, seguidas pela China, Áustria e França. No total, empresas de 49 países, incluindo o Brasil, participaram da feira.

A indústria da construção tem sido, sistematicamente, a maior consumidora de energia elétrica. Estudos recentes sobre efi ciência energética, realizados pelo Conselho Mundial de Empresas pelo Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, na sigla em inglês), apontam que as edifi cações respondem por 40% do consumo mundial de energia, sendo as emissões de carbono resultantes delas bem maiores que as emissões do setor de transportes, por exemplo.

 

De acordo com o órgão, o setor global de construções deveria reduzir o consumo de energia em 60% até 2050 para que sejam alcançadas as metas de combate às mudanças climáticas. Com foco nesse objetivo, a Glasstec, maior feira internacional do setor do vidro, foi apresentada pela primeira vez em conjunto com a Solarpeq – Feira Internacional de Equipamentos para Produção de Energia Solar. 

 


Realizado entre os dias 28 de setembro e 1º de outubro, na cidade de Düsseldorf, na Alemanha, o evento líder mundial em seu setor comemorou seu 40º aniversário com diversas novidades. Um total de 1260 expositores apresentou suas inovações em aproximadamente 63 mil metros quadrados, na Messe Düsseldorf. A idéia de unir os dois segmentos em um mesmo evento não surgiu por acaso.

 

“Esta combinação inédita teve como objetivo gerar sinergias entre ambos os setores e estimular o desenvolvimento de novos mercados”, afi rma Lauri Müller, diretor da MDK Feiras Internacionais, representante ofi cial da Glasstec no Brasil. A MDK é responsável pela organização de mais de 40 feiras em Düssel-dorf e, em todas elas, desempenha o papel de intermediar a comunicação entre as empresas brasileiras de vidros e o mercado internacional.

 

“Com isso, expositores e visitantes tiram partido do suporte oferecido, tanto no Brasil como em Düsseldorf”, ressalta Muller. Realizada a cada dois anos, a Glasstec apresenta as últimas tecnologias, inovações e tendências em vidros, máquinas, equipamentos, aplicações e produtos. Em 2010, o evento abriu suas portas com uma segmentação totalmente inovada e uma gama ainda maior de temas e novidades. Em sua 21ª edição, a Glasstec levou a Düsseldorf cerca de 1.200 expositores, entre fabricantes, representantes das indústrias do vidro e comércio vidraceiro, que tiveram a oportunidade de apresentar numerosas inovações do setor.

 

 

 

 

Do mundo para o Brasil

 


As perspectivas de forte crescimento do setor da construção civil no Brasil, amparadas por dois dos maiores eventos esportivos mundiais previstos para 2014 e 2016 – a Copa do Mundo e a Olimpíada – reforçam a importância de as empresas brasileiras do setor terem marcado presença na Glasstec/Solarpeq 2010. Muller lembra que o mercado internacional vem sofrendo sérias turbulências, principalmente na construção civil, um dos baluartes do setor vidreiro. Observa, porém, que as difi culdades tendem a se acomodar.

 Ao contrário do que acontece em vários países, o mercado nacional está em franco crescimento e necessita com urgência de novos materiais e tecnologias. “Este é o momento das grandes parcerias entre as empresas brasileiras e seus pares no mundo desenvolvido”.

 Participante ativa no evento, a Abravidro (Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos) foi a principal entidade a representar o Brasil na Glasstec/Solarpeq 2010, apresentando ao mercado internacional o que de melhor está acontecendo por aqui.

Deixe seu comentário