Seção

Feiras e Eventos

Encontro na Bahia

12a edição do Simpovidro reúne principais representantes da base vidreira, que avaliam o momento atual do setor e expõem suas expectativas para 2016

11/08/2016

Os grandes formadores de opinião da cadeia produtiva vidreira estiveram reunidos entre os dias 25 e 29 de novembro, na Bahia, durante a 12a edição do Simpovidro, maior encontro do setor vidreiro no Brasil, organizado a cada dois anos pela Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos (Abravidro). Realizado no Hotel Vila Galé Marés, na Praia de Guarajuba, o evento teve como mote as artes circenses, e seu principal intuito foi promover atualização sobre o mercado, networking e lazer a seus 814 participantes.


Segundo a Abravidro, o público superou as expectativas dos organizadores, sobretudo diante do momento de instabilidade econômica. “Tínhamos dois objetivos: proporcionar condições para que toda a cadeia se socializasse neste momento de grandes desafios e fazer com que essa edição do Simpovidro se tornasse a mais inesquecível de todos os tempos pela organização e conteúdo. Alcançamos essas metas”, afirmou o presidente da entidade, Alexandre Pestana, durante a cerimônia de encerramento.


Durante os cinco dias de evento, os participantes assistiram a palestras de especialistas, interagiram com seis patrocinadores, dezenove apoiadores e diversas personalidades do setor.  Entre os palestrantes, marcaram presença o executivo Denis Ramboux, diretor-comercial da AGC Vidros do Brasil (Divisão Building); Danilo Gatto, gerente-comercial da Vivix; Samy Dana, fundador e coordenador do Núcleo de Criatividade e Cultura da FGV, falando sobre o cenário econômico e perspectivas para o mercado de vidro no Brasil; e Vitor Hugo Farias, responsável pela área comercial nacional e internacional, discorrendo sobre negócios em transformação.


Na cerimônia de abertura, representantes da indústria de base expuseram suas expectativas para o mercado em 2016. Os diretores-executivos Leopoldo Castiella e Reinaldo Valu, da Cebrace, aproveitaram a ocasião para anunciar o investimento em sua sexta linha de produção de vidro float em Caçapava e o aumento de capacidade da unidade de Barra Velha (SC) para a produção de 600 toneladas para 900 toneladas de vidro por dia.


O presidente da Vivix Paulo Drummond sustentou que os empresários não devem esperar soluções do governo para a crise, mas se unir para dar rumo aos negócios. Ele também ratificou a crença da Vivix no Brasil, lançando novos produtos e mantendo os planos para a construção de sua segunda planta — embora admita que ela possa esperar uma reação na economia. Já o presidente da UBV, Sergio Minerbo, enalteceu a postura dos vidreiros diante da crise. “O profissional do vidro é um otimista. Ele segue buscando soluções e investindo”, disse. O executivo ressaltou as ações de sua empresa no lançamento de produtos e enalteceu as ações das entidades regionais filiadas à Abravidro, que ajudam a propagar os produtos e serviços do setor, além de qualificar a mão de obra vidreira.


Em nome da Saint-Gobain Glass, o gerente-geral Gustavo Luiz de Jesus Siqueira deixou uma mensagem de confiança diante da crise: “Um tempo atrás, enfrentamos inflação de 80% ao mês. Isso mostra que sabemos superar momentos difíceis”. Falou também sobre ações da Saint-Gobain Glass, como a reforma de seu galpão. Já a multinacional Guardian ressaltou a habilidade do brasileiro em transformar algo negativo em estímulo para o crescimento. “É impossível decolar um avião sem o vento de proa”, disse diretor-executivo da empresa, Eduardo Borri. “Definir uma visão aos negócios, investir em marketing, prestar atenção nas questões financeiras, ter excelência operacional e dedicar atenção aos recursos humanos”, acrescentou o diretor.

 

Deixe seu comentário