Seção

Arquitetura e Vidro

Doze chapas de vidro especiais na fachada frontal de residência promovem interação inusitada

Fachada transparente de residência paulista com massa arbórea protegida pelo patrimônio histórico faz parecer que as copas das árvores invadem o interior da grande sala sem interferência visual, criando um ambiente ideal para descanso

18/08/2018

Esta varanda na sala frontal com fechamento pivotante motorizado recebeu vidros 8+8mm laminado incolor. No guardo-corpo foram aplicados vidros de 6+6mm laminado temperado

C onstruída em uma região com massa arbórea protegida pelo patrimônio histórico, no bairro Cidade Jardim, em São Paulo, esta residência de 550m² foi concebida para promover renovação pessoal e bem estar, através de espaços onde a paisagem e a arquitetura se reúnem para reabastecer e revigorar o espírito. Para integrar os ambientes interno com a vegetação exterior os arquitetos da Drucker Arquitetos e Associados apostaram em grandes aberturas com chapas de vidro laminado para promover também a segurança.

Para acentuar a entrada de luz da grande sala frontal foi concebido um conjunto estruturado com um pergolado metálico com vidros na cobertura e portas pivotantes igualmente em vidros transparentes. Esta varanda na sala frontal com fechamento pivotante motorizado recebeu vidros 8+8mm laminado incolor. No guardo-corpo foram aplicados vidros de 6+6mm laminado temperado. Esse conjunto proporcionou uma inusitada interação com a copa das árvores, que parecem invadir o interior deste grande salão de concreto, sem pilares no meio dele. Já a sala de jantar conta com chapas especiais de 2550x2800mm de vidro laminado 5+5mm.

As esquadrias são da JMAR Esquadrias, que utilizou, tanto nas salas de estar e jantar, na área íntima e em um dos dormitórios, a linha Dinaflex com trilhos embutidos para garantir o mesmo nível de piso interno/externo, com sistema de drenagem por baixo do piso. As demais esquadrias são da Linha Gold com pintura aço corten.

 

O amplo fechamento em vidro proporcionou uma inusitada interação com a copa das árvores, que parecem invadir o interior da grande sala, sem pilares no meio interferindo.

O pátio central tem um jardim vertical contemplativo, árvores com uma pequena área gramada e uma piscina, com transbordo em toda a sua volta promovendo uma sensação de espelho d’água que reflete este jardim. Este pátio juntamente com as extensas aberturas envidraçadas das portas de correr das duas alas e também das doze portas de fechamento de vidro da fachada frontal permitem aos moradores o contato direto de toda a residência com o exterior e sua grande massa arbórea. A casa possui dois pavimentos, térreo e superior.
 



O terreno original possuía um talude de quatro metros de altura em relação ao nível da rua. Por isso, no térreo foram colocadas a garagem, depósitos, instalações técnicas, parte de serviços, dependências de funcionários com copa e acessos por escadarias interna e externa. O piso superior foi instalado na parte mais alta do talude existente e se projeta em balanço sobre o térreo, que está pouco acima do nível da rua. Na entrada, a portaria é feita de vidro blindado de 30mm com película escura.

No pavimento superior o programa foi organizado em torno de um pátio central, cuja planta em forma de U é articulada por uma circulação, com lavabo, escada interna, copa-cozinha e uma sala íntima, e por duas alas paralelas à via externa. A ala mais próxima à rua abriga um grande salão com estar, sala de jantar, home theater e varandas. Na ala dos fundos há uma sequência de quatro suítes, sendo a última delas a suíte master. Em alguns banheiros foram instalados nos boxes vidro 3+3mm leitoso opaco para privacidade.


 

Este pátio juntamente com as extensas aberturas envidraçadas das portas de correr das duas alas e também das doze portas de fechamento de vidro da fachada frontal permitem aos moradores o contato direto de toda a residência com o exterior e sua grande massa arbórea.





Um dos destaques do projeto foram os brises móveis orientáveis nos dormitórios que funcionam ora como quebra sol articulável (modula a entrada da luz até a sua vedação total), e ora como portas de abrir. A casa conta ainda com reúso de águas pluviais, captação de energia solar, ventilação cruzada, janelas com tratamento térmico, isolamento térmico de poliestireno na cobertura, controle digital de iluminação, madeira reciclada, entre outras medidas de arquitetura verde. Há ainda um sistema de captação de águas pluviais embutido nas pedras. 
 

Deixe seu comentário