Seção

Feiras e Eventos

Balanço positivo

Variedade de produtos, público qualificado e volume de negócios marcam Glass South America 2014

05/08/2016

Glass South America 2014

O setor vidreiro nacional parece enxergar a atual conjuntura econômica do país sob uma ótica peculiar. Enquanto outros segmentos permanecem apreensivos com desaceleração da indústria e a retração de investimentos, empresas ligadas à cadeia do vidro mostram-se dispostas a ampliar suas perspectivas e vislumbrar um cenário positivo para além das circunstâncias imediatas. Foi esse o clima que dominou a 11a edição do mais importante evento vidreiro da América Latina, a Glass South America, realizada entre os dias 21 e 24 de maio no Transamérica Expo Center, em São Paulo. 

 

Em todas as especialidades e segmentações do ramo vidreiro, o que prevaleceu nos corredores da Glass South America 2014 foi um clima de otimismo, amparado pela aposta em soluções voltadas para um crescimento sólido e contínuo do setor. “A Glass é uma oportunidade única de mostrar os avanços dos últimos anos”, afirma o diretor da fabricante de kits e ferragens para vidro Alclean, Sérgio Koloszuk. “Tivemos um alto índice de visitação, de pessoas interessadas em conhecer de perto a composição dos kits, os métodos de instalação etc. A Glass é certamente a grande vitrine do nosso setor.” 

 

 

A Italotec reservou para sua 4a participação na Glass o lançamento de dois equipamentos: o classificador de vidros automático para vidros de 3,60 x 2,40 m e o classificador automático para vidros jumbo.

 

O evento atraiu um público recorde de cerca de 13 mil pessoas, que percorreram os estandes das 200 marcas em exposição para conferir as últimas novidades do mercado. “Fomos para a feira um pouco céticos diante dos rumores de que 2014 seria um ano negativo para o comércio e a indústria. Não foi o que vimos. A feira apresentou uma grande variedade de novos equipamentos, e nossos produtos foram alvo de grande interesse do público”, afirma Silvio Moutinho, diretor da fabricante de máquinas e acessórios para vidro Italotec. “Vendemos mais equipamentos do que em todas as outras edições de que participamos”, acrescentou. 

 

Representantes de Alemanha, Áustria, Bélgica, Egito, China, Emirados Árabes, Espanha, Estados Unidos e Inglaterra marcaram presença, ao lado da tradicional Itália, que mais uma vez contou com um pavilhão exclusivo. Organizado pela Gimav, associação de fabricantes e fornecedores italianos de máquinas, acessórios, equipamentos e produtos especiais para o processamento do vidro, em parceria com a ICE, Agência para a Internacionalização das Empresas Italianas do Departamento para a Promoção de Intercâmbios da Embaixada da Itália, o pavilhão italiano reunia algumas das mais reconhecidas grifes do setor. 

“Os resultados da Glass South são reflexo do sólido crescimento do mercado vidreiro, impulsionado por tecnologias modernas e novas formas de uso do vidro nos diversos segmentos industriais e econômicos”, afirma Ligia Amorim, diretora-geral da NürnbergMesse Brasil, empresa organizadora da feira.

 

Segundo ela, os números do evento uma vez mais atingiram novos patamares. A área de exposição, por exemplo, foi ampliada em 15% em relação à edição anterior, de 2010, cujos resultados já tinham sido considerados históricos. Quanto ao número de expositores, o aumento foi de 21%. “O evento refletiu o momento favorável da indústria ao longo dos últimos anos”, diz Ligia. “Mais uma vez cumprimos a missão de proporcionar experiências, conectar pessoas e compartilhar conhecimento, oferecendo aos expositores, visitantes, congressistas e parceiros o melhor espaço para troca de informações, atualização profissional e geração de negócios da América Latina”, afirmou Ligia. 

 

Na entrevista coletiva que abriu o evento, a diretora frisou o papel da Glass como catalisadora de oportunidades, promovendo um contato próximo entre fabricantes, beneficiadores, vidraceiros, arquitetos e projetistas, relação que contribui muito para a geração de novos negócios e parcerias e fortalecimento da cadeia. Presente na entrevista, o presidente da Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos (Abravidro), Alexandre Pestana, expôs os dados levantados em pesquisa recente realizada pela entidade, que apontaram um panorama positivo para o setor. “2013 foi um ano muito próspero, em que constatamos um aumento no consumo de vidro da ordem de 12,9%. Alcançamos quase 10kg de consumo per capita de vidros planos no Brasil. É algo histórico diante do quadro a que estávamos acostumados”, ressaltou o presidente.

 

Coletiva de imprensa Glass South

A abertura do evento foi marcada por coletiva de imprensa com as participações do superintendente da Abividro, Lucien Belmonte; da diretora-geral da NürnbergMesse Brasil, Ligia Amorim; do presidente da Abravidro, Alexandre Pestana; e do presidente do Comitê Organizador do Glass Performance Days (GPD), Jorma Vitkala 

 

Design e tecnologia

 

Segmentadas em Glass Tecnologia e Glass Design, as marcas apresentaram as mais recentes novidades em aplicações de vidro, máquinas, equipamentos e acessórios. A área dedicada à Glass Design abrigou as maiores fabricantes do setor com presença nacional, incluindo a estreante Vivix e as veteranas Cebrace e Guardian. “Esta é a segunda vez que participamos e já conseguimos perceber que, a cada edição, o evento vem trilhando um caminho de crescimento, reunindo um número maior de expositores e visitantes,  com qualidade e organização impecáveis”, comenta o diretor Comercial e Marketing da Vivix, Henrique Lisboa. Em um amplo estande de 150 m2, a Vivix recebeu a visita de cerca de 2 mil pessoas ao longo dos quatro dias de evento.

 

A Vivix reservou sua 2a participação na Glass

A Vivix reservou sua 2a participação na Glass para exibir um vídeo em que é mostrada a fabricação das primeiras chapas de vidro 100% brasileiras, produzidas na nova unidade da empresa, inaugurada no início do ano no município de Goiana (PE). Em um estande de 150 m2, a fabricante recebeu a visita de cerca de 2 mil pessoas ao longo dos quatro dias do evento

 

As fábricas de vidro impresso Saint-Gobain Glass e UBV também marcaram presença. “A cada edição, a feira está maior e o público mais qualificado”, afirmou Marcela Calabre, responsável pelo marketing da Saint-Gobain Glass. O foco da empresa foi no lançamento do SGG Pixarena, vidro impresso com textura muito suave, que remete ao desenho das nuvens. “É a solução ideal quando se pretende obter privacidade, sendo uma ótima opção à substituição de paredes por divisórias ou portas de vidro”, comenta a gerente. A Saint-Gobain Glass apresentou seus produtos em um estande que simulava diferentes ambientes de uma casa, e o Pixarena aparecia aplicado em um box. 


No ramo de beneficiamento, a paulista Conlumi inovou na apresentação de seus produtos ao montar uma mini-fábrica de laminados, que demonstrava as facilidades e garantias para o visitante interessado em se tornar um laminador de vidros pelo sistema UVEKOL por cura ultra-violeta. Os visitantes puderam acompanhar todas as etapas do processo de laminação, da preparação do vidro à montagem, injeção do UVEKOL e cura. “A ideia foi destacar as vantagens em comparação aos demais sistemas, além de evidenciar alguns diferenciais, como a relação custo/benefício para fabricação de vidros acústicos, de segurança, decorativos, etc.”, diz o diretor da empresa, Claudio Passi.

 

A Divinal Vidros voltou a marcar presença como expositora, depois de três edições sem participar. “O evento foi perfeito para demonstrar a evolução tecnológica pela qual nossa empresa passou nos últimos quatro anos”, comenta o diretor comercial Fernando Passi. Para ele, a feira ofereceu uma proveitosa oportunidade de apresentar os produtos da empresa, tanto os novos como os já consagrados. “Foi também uma oportunidade de contato pessoal com clientes que vieram de longe, e com quem só falávamos por e-mail ou telefone,” comenta o diretor. O grande chamariz do estande foi a Sacada Blindex View, sistema de envidraçamento fruto de parceria com a Blindex e a Barravento. A empresa destacou também o lançamento do “suitable glass”, vidro tecnológico que passa de opaco a transparente por ajuste eletrônico, ainda sem nome definido em português. “Entre seus diferenciais, ele permite dimerização, ou seja, regular a intensidade de transparência”, informa Passi.

 

Já a PKO, expositora assídua desde 2000, inovou no conceito do seu estande ao mostrar uma escada toda feita com vidros temperados multilaminados, que dava acesso a uma sacada feita do mesmo material. A empresa aproveitou a oportunidade para lançar sua linha de blindados para a construção civil. “A Glass permite fazer uma leitura mais apurada do mercado e identificar suas principais tendências”, destaca Yao Ang, diretor da PKO do Brasil. 

 

A serviço do vidro

 

Entre os mais movimentados da feira, os estandes das empresas de ferragens exibiam as inúmeras possibilidades de aplicação do vidro em sofisticados sistemas de fixação, além de modernos kits e acessórios para temperados. No ramo de kits para box, a fabricante Ideia Glass destacou os clássicos de sua linha, além de lançamentos como o Box Certo, que atraiu a atenção dos visitantes em duas diferentes aplicações. A empresa aproveitou a ocasião para demonstrar um passo a passo de instalação de seus produtos, em sessões realizadas ao longo de toda a feira. “O forte do estande foi a apresentação do vidro padrão para o kit Box Elegance e o lançamento do Box Certo, um modelo inédito no mercado, que garante ampla acessibilidade graças à abertura das portas em 180o”, afirma o diretor de marketing da empresa, Erico Miguel. “O ponto alto desta edição foram as propostas internacionais que conseguimos fechar, que nos permitirão fortalecer nossa marca e ampliar nosso campo de atuação no mercado externo.” 

 

Em dois grandes estandes, a Glass Vetro, expositora desde a primeira edição, apresentou toda sua linha de ferragens, além dos produtos fabricados pela parceira espanhola Klein. Focado no arquiteto, um dos estandes expunha aplicações diferenciadas de portas de correr pré-montadas, incluindo os sistemas Pocket Glass, Lite lass e Unikglass. Já o estande ao lado, mais voltado para distribuidores de ferragens, oferecia um espaço para treinamentos técnicos, além de um cyber café e uma sala de atendimento aos interessados no Glass Vetro Franchising, sistema de franquias recentemente lançado pela empresa. “Um dos principais destaques foram as escadas modulares da linha DO-UP, instalada como forma de acesso ao segundo andar do estande, possibilitando ao visitante testar a segurança do produto”, diz o diretor Nelson Libonatti. 

 

Outros representantes do segmento incluíam a Gold News, que apresentou sua linha de puxadores e acessórios em aço inox e abriu novos canais de vendas com arquitetos e decoradores de ambientes, e a WR Glass, que destacou o lançamento da Torre Fit de Encaixe, de fácil instalação e design diferenciado. “O produto é muito versátil, dispensa molde, recorte ou furação no vidro, e permite aproveitamento de sobras do material”, diz o diretor Willmerson Ramos. A fabricante Funisa expôs toda sua gama de produtos, com ênfase no lançamento da coluna New Spider, que possibilita a união de dois vidros em uma única torre e permite ampliar o espaço útil da escada ou sacada, por meio do deslocamento do vidro para margem. 

 

Gold news

A aplicação de uma linha completa de ferragens em aço inox foi o foco do estande da Gold News, que apresentou lançamentos em puxadores e acessórios  para vidro temperado

 

 

O ramo de softwares foi mais uma vez representado pela Corte Certo, que reservou para a Glass o pré-lançamento do EG Vidros (nome provisório), um software de orçamentos com foco no vidraceiro. Desenvolvido em parceria com a Projeto Certo e Alumisoft, o produto é inteiramente integrado ao Corte Certo, tanto para a otimização de cortes de vidros como de perfis. Para o diretor Joerly, a feira ganhou fôlego e cresceu nos últimos dias. “O trabalho de branding sempre se beneficia e isso não tem preço”.

Corte-certo

O ramo de softwares foi representado pela Corte Certo, que reservou para o evento o pré-lançamento do EG Vidros (nome provisório), um software de orçamentos com foco no vidraceiro. O produto é integrado ao Corte Certo, tanto para a otimização dos cortes dos vidros, como para a dos cortes de perfis.


No segundo pavilhão (Glass Tecnologia), players do segmento de máquinas mostraram como têm se munido dos mais avançados recursos para garantir o contínuo fortalecimento do setor no Brasil. É o caso da italiana Bottero, que levou para seu estande o que tem de mais avançado em suas linhas de produtos, como a mesa de corte monolítico automática, especialmente voltada para corte de vidros laminados. “O balanço da Glass 2014 foi bastante positivo, especialmente por estarmos em um momento em que a economia mostra sinais de desaceleração. Creio que esta edição recebeu um público mais atento e maduro em relação aos investimentos”, observou o diretor Ezio Cabib.

 

“Apesar de o mercado apresentar sinais de recessão e estar atravessando um momento um tanto conturbado, a feira foi um sucesso”, diz o diretor Ricardo Costa, da fabricante de máquinas Handong Glass, estreante na feira e no mercado brasileiro. “Nos deparamos com um público altamente qualificado, e o volume de negócios superou nossas expectativas”, avaliou Costa ao final do evento. 

 

Congressos paralelos

 

Realizado pela terceira vez consecutiva em solo nacional, o Glass Performance Days South America (GPD Same), versão continental da maior conferência vidreira do planeta, se consolida como o principal congresso realizado simultaneamente à Glass South America. Dedicado ao desenvolvimento da indústria do  vidro em âmbito global, o fórum debateu os avanços recentes em produtos e aplicações do material. Entre os assuntos abordados, o executivo Ambrogio Mastrodomenico, gerente de exportações da empresa italiana de máquinas e equipamentos para o processamento do vidro Forel SpA Italy, detalhou as características, composições e os benefícios do vidro insulado. “A combinação de componentes determina diferentes características para esse tipo de vidro, capaz de aliar conforto térmico, acústico, economia de energia e proteção solar”, afirmou o especialista.

 

Os destaques da programação do GPD Same incluíram uma palestra com o engenheiro James O’Callaghan, responsável pelos vidros estruturais das famosas lojas da Apple ao redor do mundo, que apresentou cases recentes de seu escritório e abordou a evolução deste tipo de aplicação nos últimos anos.
No segundo dia de evento, especialistas energia solar reuniram-se no Solar Glass Expo para debater os rumos desse segmento no Brasil, a partir de análises sobre o uso do vidro plano na construção civil e seu impacto no desempenho e nível de eficiência energética das edificações. Nomes como os dos engenheiros Fernando Westphal, professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e Remy Dufrayer, gerente de desenvolvimento de mercado da Cebrace, apresentaram cases e destacaram as contribuições do vidro para construção sustentável, reforçando o impacto das fachadas no conforto e consumo de energia. 

 

Entre outros temas, Westphal demonstrou os caminhos para melhorar o desempenho em prédios residenciais, apresentando estudos de viabilidade capazes de calcular a economia propiciada pelo uso de vidros de controle solar. “Já é o momento de partir para essas soluções também em empreendimentos com este perfil”, frisou o especialista. “A indústria vidreira disponibiliza produtos de elevada performance. O caminho agora é trabalhar para capacitar arquitetos, consultores e projetistas, para que haja uma triangulação entre esses profissionais, com o objetivo de ampliar o uso destes produtos.” Já o engenheiro Gabriel Iwamoto, do Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (LabEEE/UFSC), discorreu sobre o S3E-Simulador de eficiência energética em edificações. 

Deixe seu comentário